Multas vão passar a ser pagas no momento da infração

Segundo o Ministério do Ambiente, a medida permitirá retirar complexidade e morosidade aos processos, já que a maioria dos infratores são cidadãos estrangeiros

Polvilham a paisagem do Algarve de uma ponta à outra, mas sobretudo em zonas próximas da água ou em cima de falésias. Acusados de “maltratar” o ambiente, os caravanistas crescem todos os anos em vários locais, com especial incidência na Costa Vicentina. Face a este problema, que se arrasta há mais de 15 anos sem uma solução à vista, o JA sabe que o Governo está a ponderar a possibilidade de as coimas serem pagas no momento da infração

O Governo está a ponderar avançar em breve com uma proposta de lei que visa a cobrança de multas no momento da infração relativa à prática de campismo e caravanismo selvagem.

Este é um problema que se arrasta em várias zonas da região algarvia há pelo menos 15 anos, mas a situação é cada vez mais grave em zonas sensíveis, como o parque natural da Costa Vicentina, no litoral dos concelhos de Aljezur e Vila do Bispo. A GNR desloca-se com frequência aos locais mais procurados por caravanistas e campistas, levantando diversas coimas, mas estas parecem não surtir efeito.

Já no longínquo ano de 2002, a Câmara de Aljezur pedia medidas legislativas “urgentes” para impedir o campismo e caravanismo selvagem nas praias e dunas do parque natural, mas os pedidos não foram ouvidos.

Quinze anos depois, a autarquia confirma que se verifica um “crescimento do campismo selvagem”, ao longo de 40 quilómetros da costa do concelho de Aljezur, assumindo a prática de caravanismo fora dos parques de campismo “proporções incontroláveis”…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 16 DE NOVEMBRO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste