Poluição agrava-se de dia para dia na principal maravilha natural do Algarve

A população acredita que a ETAR de Olhão Poente está na origem da poluição, pois em várias ocasiões já ocorreram “descargas acidentais” (Foto: Olhão Livre)
ETAR de Olhão Poente (Foto: Olhão Livre)

Apesar da criação do parque natural, em 1987, as descargas de esgotos e outros focos de poluição ainda não pararam na Ria Formosa. A situação agrava-se a cada dia que passa, pondo mesmo em causa o futuro deste santuário da vida selvagem, que há três anos conquistou a categoria ‘Zonas Marinhas’ das “Sete Maravilhas Naturais de Portugal”. Para além de ser um local paradisíaco e um dos principais cartões turísticos da região, a ria tem uma importância económica enorme devido à variedade de peixe, marisco e bivalves. Porém, a contaminação da água está a ameaçar todo este ecossistema lagunar único no mundo…

(Toda a reportagem na última edição do JA – dia 12 de dezembro – disponível em PDF, Edição Impressa, nesta página)

NC/JA

pub

 

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste