“A imposição de portagens tem contribuído para a desgraça”

Foto: Facebook Comissão Utentes Via do Infante

A introdução de portagens na Via do Infante (A22), a 8 de dezembro de 2011, agravou a sinistralidade e prejudicou a economia da região, considera a Comissão de Utentes da Via do Infante (CUVI).

“As portagens impostas pelo governo PSD/CDS – faz no próximo dia 8 de dezembro sete anos – foi um erro crasso e que tem afetado de forma muito negativa o Algarve. Não só em termos económicos, sociais e financeiros, mas também em termos de mobilidade”, refere a comissão, num comunicado enviado esta semana à nossa redação.

Por um lado, o movimento anti-portagens denuncia que “a PPP (parceria público-privada) da Via do Infante é o maior crime económico e financeiro que se pratica na região, com o Estado a transferir anualmente para a concessionária privada mais de 30 milhões de euros, para além da cobrança das taxas de portagem”.

Mas, segundo a CUVI, é no campo da sinistralidade rodoviária que “os crimes são ainda maiores”…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 29 DE NOVEMBRO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

Advertisements
albufeira -
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste