ALGARVE REPORTAGEM ÚLTIMAS

Acidentes e mortes aumentam mesmo em troços renovados

O número de mortes e acidentes nas estradas da região continua a aumentar em 2018, apesar de parte da requalificação da EN125 estar concluída
[mobileonly] [/mobileonly]
O número de mortes e acidentes nas estradas da região continua a aumentar em 2018, apesar de parte da requalificação da EN125 estar concluída

O número de acidentes, feridos graves e vítimas mortais na Estrada Nacional 125 não dá sinais de abrandar. Segundo apurou o JORNAL DO ALGARVE, todos estes indicadores estão em alta nos primeiros meses de 2018, mesmo em troços que já foram renovados! Apesar de as obras já estarem concluídas entre Vila do Bispo e Olhão, a “estrada da morte” continua a merecer as maiores preocupações, depois de vários atropelamentos e colisões frontais. Na outra metade da EN125, o piso está cada vez em pior estado e os acidentes sucedem-se

 

“Estrada com cheiro a morte”, “rua urbana”, “cemitério algarvio”. Assim continuam a chamar muitos algarvios à EN125, que corre desde Vila Real de Santo António a Vila do Bispo, atravessando a maior parte dos concelhos da região. A única alternativa é a Via do Infante, mas o preço das portagens continua a afastar a maioria dos automobilistas desta autoestrada.

Apesar de a intervenção já estar concluída nos cerca de 70 quilómetros da EN125 que ligam Vila do Bispo e Olhão (não se sabendo ainda quando arrancam as obras entre Olhão e Vila Real de Santo António), é raro o dia em que não acontece um acidente grave com feridos ou mortos, mesmo nos troços que já foram alvo de requalificação.

Segundo os últimos dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), entre 1 de janeiro e 7 de março de 2018, foram registadas oito mortes nas estradas algarvias, mais uma do que foi registado em igual período do ano passado, ainda com as obras por fazer em grande parte da EN125, e mais seis em relação a 2016.

O número de feridos graves também aumentou nos primeiros meses deste ano, comparativamente ao período homólogo de 2017, passando de 20 para 31 (mais onze).

Em relação ao número de acidentes – que no ano passado atingiu um número recorde na região algarvia, num total de 10.752 sinistros (mais 511 do que em 2016 e mais 1.262 do que em 2015) –, as estatísticas da ANSR indicam que foram registados desde o início do ano 1.489 acidentes de viação, mais 28 que em igual período de 2017.

Ou seja, o número de mortos, feridos graves e acidentes continua a aumentar nas estradas algarvias, mesmo depois de parte da principal estrada que atravessa a região ter sido alvo de grandes investimentos ao nível da melhoria do piso e das condições de circulação e segurança…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 15 DE MARÇO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: