“Aeroporto Gago Coutinho”

Este é um daqueles «dossiers» que, de há muito, deviam ter sido concretizados, tão autênticos são os argumentos que o sustentam. O Aeroporto de Faro aguarda, com impaciência em cada hora, que se designe de «Aeroporto Gago Coutinho», em homenagem ao descendente de algarvios, mais famoso na História Mundial da Aviação. Claro que esta importante infra-estrutura, porta de entrada na nossa Região e grande responsável pelo desenvolvimento na mesma acontecido, desde 1965, continuará no dia a dia, a ser referido como Aeroporto de Faro ou do Algarve. Outro tanto acontece com os casos similares verificados nos aeroportos de Lisboa/Portela (Aeroporto General Humberto Delgado) ou do Porto/Pedras Rubras (Aeroporto Dr. Francisco de Sá Carneiro).
Trata-se de uma afirmação da grandeza do nosso Algarve, ligado que o era às Descobertas Marítimas como princípio de uma globalização terrestre e desde a 1.ª Travessia Aérea do Atlântico Sul, ligando Portugal ao Brasil, também na grande pista dos céus.
Feito heróico, inventariado entre os grandes feitos pela UNESCO (organismo da ONU – Nações Unidas para a cultura e ciência). Muito mais a acrescentar ao feito histórico de Gago Coutinho, ligado a Faro, pelo lado materno e a São Brás de Alportel, por seu pai, entre o que incluímos a descoberta do «sextante», da mais primordial importância para a aviação.
Com o seu início em 2019, a quando das comemorações do 150º aniversário do nascimento do glorioso aviador, a iniciativa – chamar ao Aeroporto de Faro de «AEROPORTO GAGO COUTINHO» conheceu uma certa pausa, gora que se assinala o centenário da histórica ligação, volta à «ordem do dia» e escolhe-se uma data para a sua concretização, 20 de Maio, «Dia da Marinha», em que ocorre a efeméride da chegada a Calcutá (Índia) do Grande Almirante Vasco da Gama.
Esperamos que sim, porque o tema merece um consenso geral, conforme os inúmeros e eloquentes testemunhos vindos a público, entre os quais referimos os de figuras marcantes na vida regional e nacional, casos do Almirante Martins Guerreiro (um dos «históricos do 25 de Abril de 1974), dos deputados fundadores da Assembleia Constituinte – Carlos Brito, Afonso Dias, Luís Filipe Madeira, de uma vasta pleiade de gente nosso da medicina, do associativismo, da gestão pública, etc.
«Aeroporto Gago Coutinho» a afirmação cuja concretização esperemos se concretiza e 20 de Maio de 2022.

João Leal

Deixe um comentário

Relacionadas

+ Exclusivos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

JA_NEWSLETTER

JORNALISMO DE CAUSAS AO SERVIÇO DA REGIÃO.SIGA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Tamanho da Fonte
Contraste