Águas do Algarve premiada pela eficiência e produção de energia

A Águas do Algarve recebeu, no final deste ano, o prémio alusivo ao Plano de Eficiência e de Produção de Energia (PEPE). Este plano integra um conjunto de metas e objetivos para o período 2017-2020, cuja implementação permitirá melhorar o desempenho energético da empresa responsável pelo abastecimento de água e saneamento no Algarve.

O prémio foi entregue no decurso das IX Jornadas de Engenharia, que decorreram em Lisboa, sendo a Águas do Algarve representada pela administradora Isabel Soares e pelo gestor de energia Francisco Vilanova.

“Este prémio visa destacar as empresas que atingiram um grau de cumprimento do PEPE igual ou superior ao previsto no plano inicial, assim como também as empresas que imprimiram uma dinâmica de implementação superior a 10% no último semestre do período”, adianta em comunicado a Águas do Algarve, frisando que, “com a atribuição deste prémio, foi dado relevo ao trabalho que, no âmbito da eficiência energética e produção própria de energia, vem sendo desenvolvido pela Águas do Algarve, o que muito nos honra e incentiva para continuarmos a fazer cada vez mais e melhor”.

Poupanças financeiras e ganhos ambientais

O PEPE Algarve prevê a implementação de 53 medidas de eficiência energética, sendo 23 do setor da água para consumo humano e 30 do setor das águas residuais. Atualmente, encontram-se em curso 29 destas medidas. “Estas medidas, depois de implementadas, proporcionarão, em 2020, a redução de 2,6 GWh no consumo de energia elétrica anula da totalidade da empresa o que corresponderá a uma redução de recursos financeiros de 270 mil euros aos preços atuais da energia”, lê-se no comunicado, assinado pela porta-voz da Águas do Algarve.

Teresa Fernandes refere ainda que este plano também irá “favorecer o ambiente”, uma vez que que “as medidas previstas irão poupar cerca 650 toneladas equivalentes de petróleo, o que equivale a evitar cerca de 1222 toneladas equivalentes de CO2 emitidas para a atmosfera”.

O investimento previsto no plano é de cerca de 630 mil euros até ao final de 2020.

Como medidas complementares do plano, estão ainda a ser desenvolvidas outras medidas, como a instalação de nove postos de carregamentos elétricos e a introdução destas viaturas no frota da empresa, que permitiu retirar de serviço 16 viaturas com motor convencional.

Na área da produção de energia elétrica renovável, até 2020, está também prevista a instalação de mais 13 centrais fotovoltaicas, que se juntarão às 60 centrais que existem atualmente na empresa.

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste