Águas do Algarve testa soluções para remover fármacos das ETAR

A empresa Águas do Algarve está a participar num projeto, coordenado pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), que visa testar soluções para a remoção de resíduos farmacêuticos a partir de águas em sistemas de tratamento.

O projeto “Impetus”, aprovado no âmbito do Programa Life 2014-2017, tem a duração de três anos e meio, tendo-se iniciado em janeiro de 2016 e finalizará junho de 2019.

O orçamento total do projeto é de cerca de 1,5 milhões de euros, tendo um apoio comunitário de 855 mil euros. O orçamento afeto à Águas do Algarve é de 155 mil euros, sendo 60% dos custos elegíveis financiados pelo programa europeu.

“Neste momento, está-se a proceder à realização de ensaios à escala piloto na ETAR de Faro Noroeste, onde são testados diferentes tipologias e doses de coagulantes químicos e de carvão ativado. A utilização destes produtos tem como principais premissas, para além da sua eficiência na remoção de compostos farmacêuticos, o seu custo e a minimização dos consumos energéticos associados”, explica a Águas do Algarve.

Após estes ensaios à escala piloto, passa-se para o ensaio à escala real, que ocorrerá na ETAR durante cerca de quatro semanas. “O projeto tem um caráter de demonstração e visa que as tecnologias testadas com sucesso possam ser aplicadas noutros sistemas de tratamento a nível europeu”, conclui a empresa.

O projeto, em que participam oito entidades, é coordenado pelo LNEC, tendo, para além da Águas do Algarve, a participação da Universidade do Algarve, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, EHS – Environmental and Regional Development Consulting, EPAL/Águas de Lisboa e Vale do Tejo e Águas do Tejo Atlântico.

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste