Algarve com 113 estágios para a administração local

Albufeira (20), Loulé (18) e Portimão (16) são os municípios a dispor de mais estágios na região algarvia. A medida pretende facilitar a integração no mercado de trabalho de jovens desempregados até aos 30 anos, ou 35, se forem portadores de deficiência

O Governo vai atribuir 113 estágios profissionais na Administração Local na região do Algarve, cofinanciados pelo Fundo Social Europeu, no âmbito da segunda fase da edição deste ano do Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL).

Esta segunda fase destina-se a jovens desempregados até aos 30 anos, ou 35, se forem portadores de deficiência ou incapacidade, detentores de licenciatura, de cursos técnicos superiores profissionais ou cursos tecnológicos de nível secundário. A informação consta de um despacho publicado no passado dia 11 de setembro em Diário da República.

Segundo apurou o JORNAL do ALGARVE, a autarquia de Albufeira é a que vai acolher mais pessoas em toda a região algarvia (20), seguida dos municípios de Loulé (18) e Portimão (16). Estes três municípios absorvem cerca de metade dos estágios disponíveis na região.

As restantes câmaras que vão receber novos estagiários são Castro Marim e Olhão (9 cada), Faro (8), Aljezur e Lagoa (6 cada), Lagos e Tavira (5 cada), Monchique e Silves (4 cada), num total de 110 estágios.

Destes, seis são destinados a pessoas com deficiência, nomeadamente dois na Câmara de Albufeira, dois na Câmara de Loulé e dois na Câmara de Portimão.

Por outro lado, ainda existem mais dois estágios para a Junta de Freguesia de Monchique e um para a empresa Infraquinta (Loulé), perfazendo um total de 113 estágios profissionais para a administração local em todo o Algarve.

Ajudar jovens a entrar na vida profissional

A nível nacional, o Governo vai atribuir 2.088 estágios, num montante de cerca de 18,5 milhões de euros. As zonas Norte (763) e Centro (744) do país serão as que irão acolher mais vagas. Segue-se o Alentejo, com 363 estágios, o Algarve, com 113, e Lisboa, com 105.

Este programa é um instrumento de apoio à transição dos jovens do sistema de ensino e formação profissional para o mercado de trabalho, que visa aumentar a qualificação e, consequentemente, o perfil de empregabilidade, dando resposta às dificuldades de inserção na vida profissional.

Segundo o despacho, os procedimentos de seleção de estagiários devem estar concluídos no prazo de quatro meses, a contar da data da publicitação do aviso de abertura.

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste