Algarve lidera maior investigação de todos os tempos sobre saúde dos professores

.
.

Estudo revela que mais de metade dos professores portugueses sofre de esgotamento. Muitos docentes também sofrem de distúrbios cognitivos, distúrbios músculo-esqueléticos e de alterações na voz

 

Cerca de 15 mil professores participaram na “maior investigação de sempre” sobre a saúde dos docentes em Portugal, que foi liderada pelas universidades do Algarve e de Évora.

Entre os principais resultados nestes estudos, que ainda estão a decorrer, destacam-se os seguintes: numa amostra de 12.158 professores portugueses, 52,4% percecionam bem-estar do desempenho da sua atividade profissional, 50,2% sofrem de esgotamento, 26,9% de distúrbios cognitivos, 32% de distúrbios músculo-esqueléticos e 27,9% de alterações na voz.

Os coordenadores dos estudos verificaram, ainda, que os resultados obtidos nas várias dimensões de saúde dos professores portugueses são, na sua generalidade, inferiores aos dos espanhóis, observando-se maiores diferenças nas dimensões bem-estar e esgotamento…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 19 DE JULHO)

NC|JA

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste