Algarve nunca conseguirá competir no preço

2019 será um ano para precaver e minimizar os impactos de situações que têm vindo a interferir no turismo da região, como a reemergência de destinos concorrentes ou o Brexit

O turismo algarvio deve competir por “qualidade diferenciada” e nunca pelo preço, já que a concorrência de países como a Tunísia, Egito ou Turquia é muito forte nesse capítulo. João Fernandes, que lidera a Associação Turismo do Algarve (ATA), refere que “2019 será um ano para precaver e minimizar os impactos da reemergência de destinos concorrentes e do Brexit”

Num ano que se espera de desafios, dada a conjuntura de mudança que o turismo no mediterrâneo atravessa, o principal esforço do Algarve passa por consolidar a perceção da qualidade diferenciada deste destino, por parte dos turistas, em relação aos principais destinos concorrentes.

João Fernandes adianta que a estratégia de promoção da região nos mercados externos vai assentar na diversificação e na conjugação de mercados tradicionais com novos mercados

“Temos que continuar a crescer em valor, em vez de sermos conduzidos para uma competição pelo preço, nomeadamente, com destinos como a Tunísia, o Egito ou a Turquia”, explica João Fernandes, presidente da Associação Turismo do Algarve (ATA), a agência responsável pela promoção turística da região junto dos mercados externos…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 7 DE FEVEREIRO)

NC|JA

Advertisements
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste