Algarve também quer ser destino de inverno

.
.

O Turismo de Portugal anunciou na semana passada que vai lançar um plano tático de combate à sazonalidade no Algarve, a aplicar já durante o próximo inverno (2013/2014). Através de uma atuação ao nível da acessibilidade aérea, da tour operação e da captação de eventos MI (Meeting Industry), o objetivo do plano é aumentar os fluxos turísticos para a região no período entre novembro de 2013 e março de 2014.

A sazonalidade é um dos principais problemas identificados no Algarve, maior região turística do país. Os responsáveis do Turismo de Portugal reconhecem que “é necessário garantir não só um fluxo consistente de turistas, mas também a existência de um produto turístico de elevada qualidade e que esteja disponível ao longo de todo o ano”.

A primeira reunião preparatória do novo plano decorreu, na semana passada, em Lisboa, e juntou responsáveis do Turismo de Portugal, da ATA – Agência Regional de Promoção Turística do Algarve e dos principais operadores turísticos que trabalham a região.

“Nas próximas semanas serão realizadas reuniões com agentes do setor e da região, destinadas a recolher contributos e propostas para o desenvolvimento do plano, que estará assente em quatro pilares: acessibilidades, produto, distribuição e apoio à venda”, adiantou o Turismo de Portugal.

Até novembro de 2012, o Algarve registou mais de 14 milhões de dormidas (mais de um terço do total nacional), 75 por cento das quais oriundas de mercados externos, com destaque para o Reino Unido, Holanda e Alemanha. Quase metade do total de dormidas da região concentra-se nos meses de julho, agosto e setembro.

Promover a região para além do “sol e mar”

Através deste plano, o Algarve espera um reforço das rotas e do número de passageiros nas ligações já existentes, bem como a criação de outras, já no próximo inverno. Esse é, pelo menos, o desejo dos responsáveis do turismo algarvio, no âmbito do plano tático de combate à sazonalidade anunciado pelo Turismo de Portugal.

De resto, o plano de promoção externa da Associação do Turismo do Algarve (ATA) para este ano, de 6,5 milhões de euros, tem também esse objetivo na sua lista de prioridades. No total, dois terços do orçamento serão destinados à promoção de rotas aéreas diretas para Faro, através de campanhas conjuntas com as companhias de aviação e os operadores turísticos. O que a ATA pretende é aumentar o número de dormidas fora da época alta e atenuar a sazonalidade da atividade no destino.

A incapacidade de se posicionar como destino de inverno e a necessidade de se promover além do produto “sol e mar” são alguns dos problemas que têm afetado o turismo algarvio.

Entre 2006 e 2011, a região perdeu na época baixa 3,3 por cento de passageiros. Se em 2006, os quatro meses de inverno representavam 15 por cento das dormidas, em 2011, o valor caiu para 11 por cento.

JA

Advertisements
Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste