POLÍTICA ÚLTIMAS

Algarve vai a votos – Antevisão das autárquicas nos 16 concelhos da região

As eleições autárquicas estão marcadas para o próximo dia 1 de outubro

No próximo dia 1 de outubro, os eleitores algarvios vão ser chamados para votar nos seus representantes nas 16 câmaras municipais da região. Nas últimas eleições, houve várias surpresas, com dez novos presidentes a tomarem posse e apenas cinco autarcas reeleitos no Algarve. E um até “trocou” de câmara. A cinco dias de novas eleições, o JA faz uma antevisão do que poderá acontecer nestas autárquicas, onde só um dos dezasseis presidentes de câmara não poderá ser reeleito. Trata-se de Luís Gomes, o que significa que VRSA é o único concelho algarvio onde é certo que haverá uma cara nova a dirigir o município nos próximos quatro anos

 

–————————————————————————————-

ALBUFEIRA

A luta pelo maior número de votos em Albufeira promete ser renhida nas próximas eleições autárquicas. O presidente Carlos Sousa e Silva (PSD) vai tentar a reeleição depois de, em 2013, ter conseguido manter os sociais-democratas no poder (desde 2001), mas com metade dos votos perdidos em relação aos resultados eleitorais anteriores. O candidato do PSD alcançou perto de 36% nas autárquicas de há quatro anos, contra os cerca de 32% do PS, uma margem que deixa tudo em aberto nas próximas eleições. Para além dos candidatos do PSD e PS – que agora está na corrida com Ricardo Clemente -, concorrem ainda à presidência da Câmara de Albufeira os candidatos Manuela Jorge (CDU), Isabel Machadinho (PAN), Sandra Costa (BE) e Jorge Loureiro (CDS-PP/MPT/PPM).

————————————————————————————–

ALCOUTIM

O atual presidente e candidato do PS à Câmara de Alcoutim, Osvaldo Gonçalves, pretende confirmar nas próximas eleições o fim do ciclo do PSD naquele concelho, que foi governado durante 16 anos por Francisco Amaral (PSD), entre 1997 e 2013, e que estava impedido de concorrer naquele concelho devido à lei da limitação de mandatos. Há quatro anos, Osvaldo Gonçalves destronou os sociais-democratas com perto de 51% dos votos, contra 42% do PSD e 24% da CDU. Agora, os partidos derrotados apresentam caras novas para tentar derrotar os socialistas: Jorge Inácio é a aposta da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM, enquanto a CDU avança com Mário Nunes.

————————————————————————————–

ALJEZUR

O presidente socialista da Câmara de Aljezur, José Amarelinho, parte com uma margem confortável para estas eleições, depois de, nas autárquicas de 2013, ter conquistado quase 63% dos votos neste bastião socialista. O segundo partido mais votado nas últimas eleições foi o PSD, com apenas 16%, enquanto a CDU alcançou pouco mais de 14% neste concelho. Na corrida contra José Amarelinho estão agora Hélder Cabrita (PSD/CDS-PP/MPT) e Rogério Furtado (CDU), que pretendem negar o terceiro e último mandato ao atual presidente da autarquia.

–————————————————————————————-

CASTRO MARIM

Depois de ter atingido o limite de mandatos em Alcoutim, Francisco Amaral (PSD) candidatou-se com sucesso, em 2013, à Câmara de Castro Marim, substituindo assim José Estevens, que também atingiu o limite de mandatos neste concelho, que governou desde 1997. Há quatro anos, Amaral conquistou perto de 48% dos votos nas eleições autárquicas, contra 43% dos socialistas. As outras forças políticas não ultrapassaram os 3% neste concelho. Nas próximas autárquicas, Francisco Amaral vai defrontar José Estevens, que agora encabeça um movimento independente (Castro Marim Primeiro), Célia Brito (PS) e Marco Rosa (CDU).

–————————————————————————————-

FARO

Há quatro anos, o candidato Rogério Bacalhau, que liderou a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM, venceu por uma margem mínima a câmara municipal da capital algarvia, com 33,94% dos votos, contra 32,32% dos socialistas. Agora, o PS aposta tudo neste concelho com a candidatura do próprio presidente da distrital, António Eusébio, que também já foi autarca em São Brás de Alportel. Rogério Bacalhau e António Eusébio terão ainda como adversários políticos em Faro os candidatos António Mendonça (CDU), Paulo Baptista (PAN), Eugénia Taveira (BE) e o independente Humberto Correia (Campanha do Amor).

————————————————————————————–

LAGOA

Nas últimas autárquicas, realizadas em 2013, o socialista Francisco Martins conseguiu destronar o PSD do poder em Lagoa, alcançando 41,68 por cento dos votos, contra 39,35 pontos percentuais do antigo presidente e candidato dos sociais-democratas, José Inácio, que estava no cargo desde 2005. No próximo dia 1 de outubro, os dois voltam a disputar a presidência da Câmara de Lagoa e a luta promete voltar a ser renhida. António Flamino (CDU), Jorge Ramos (BE) e Ondina Santos (CDS-PP/MPT/PPM) também estão na corrida e pretendem fazer melhor do que há quatro anos, quando nenhum destes partidos ultrapassou os 8% na votação.

————————————————————————————–

LAGOS

Em Lagos, a candidatura socialista protagonizada pela atual presidente da câmara, Maria Joaquina Matos, pretende voltar a conquistar a maioria absoluta que conquistou em 2013, ao atingir quase 35 por cento dos votos. O PSD, que nas últimas eleições não foi além dos 17,31 por cento, concorre agora coligado com CDS-PP, MPT e PPM, mas com o mesmo candidato, Nuno Serafim, que vai tentar novamente derrubar o PS do poder (onde está desde 2001). Ana Paula Viana (CDU) e Luís Barroso (independente), que conquistaram mais de 13% nas últimas autárquicas, também se apresentam ao eleitorado em Lagos, bem como Manuela Goes (BE) e Margarida Maurício (PAN).

————————————————————————————–

LOULÉ

A vitória de António Aleixo (PS) foi uma das grandes surpresas nas eleições autárquicas em 2013, com o ex-presidente socialista (1999-2002), que tinha perdido as eleições para Seruca Emídio (PSD), a voltar à presidência do município doze anos depois. Agora, António Aleixo, que obteve 48% dos votos nas últimas eleições, contra 35% do PSD, vai tentar manter esta vantagem sobre os adversários, nomeadamente José Graça, que encabeça a coligação PSD/CDS-PP/MPT. As outras forças políticas não ultrapassaram os 5% nas últimas autárquicas, mas querem melhorar os resultados e conquistar a presidência da câmara, nomeadamente o BE, com Joaquim Sarmento Guerreiro, e a CDU, com António Vairinhos Martins.

————————————————————————————–

MONCHIQUE

Em Monchique, o atual presidente Rui André (PSD) pretende manter-se no cargo que ocupa desde 2009, depois de acabar com 26 anos de domínio socialista. O PSD venceu as últimas eleições autárquicas com 47,42 por cento dos votos, contra os 32,19 pontos percentuais do PS, que agora apresenta Paulo Alves como candidato, enquanto os outros partidos nem chegaram perto destes resultados. Ana Veiga (CDU) e João Vairinhos Duarte (Cidadãos Por Monchique) são os outros candidatos que também têm uma palavra a dizer nas eleições marcadas já para o próximo dia 1 de outubro.

————————————————————————————–

OLHÃO

O atual presidente da Câmara de Olhão, António Pina (PS), vai tentar manter o domínio socialista nesta autarquia (onde o PSD nunca conseguiu vencer desde o 25 de Abril de 1974), depois de ter substituído o também socialista Francisco Leal, que governou a câmara desde 1993. Em 2013, António Pina alcançou 36,60% dos votos, enquanto o PSD ficou-se pelos 26,29%, a CDU reuniu 11,94% das preferências dos eleitores e o BE obteve 9,40%. Os candidatos que pretendem destronar o PS do poder em Olhão são Luciano Jesus (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), assim como os “repetentes” Sebastião Coelho (CDU) e Ivo Madeira (BE).

————————————————————————————–

PORTIMÃO

Portimão é um concelho que está há 41 anos sob gestão do PS. Nas últimas eleições, a socialista Isilda Gomes sucedeu a Manuel da Luz, que atingiu o limite dos mandatos. Mas, apesar da vitória, o PS não conseguiu renovar a maioria absoluta num município que sempre votou maioritariamente “rosa”. Isilda Gomes reuniu cerca de 30 por cento dos votos em Portimão, enquanto José Pedro Caçorino (CDS-PP) ficou em segundo lugar, com quase 19 por cento, e Pedro Xavier (PSD) em terceiro, com 16,67. Agora, estes partidos uniram-se em torno da candidatura de José Pedro Caçorino (CDS-PP/PSD/MPT/PPM) para derrubar o PS do poder. Quem também conquistou um mandato nas últimas eleições foi o candidato do BE, João Vasconcelos (12,28%), que também concorre nestas autárquicas de 2017, e a CDU, que está na corrida com Isidro Vieira. O Nós Cidadãos tem como candidato Mário Cintra.

————————————————————————————–

SÃO BRÁS DE ALPORTEL

O candidato socialista e atual presidente da câmara, Vítor Guerreiro, vai tentar alcançar uma nova maioria absoluta no concelho de São Brás de Alportel. Recorde-se que, em 2013, Vítor Guerreiro substituiu o também socialista António Eusébio, que estava à frente da câmara municipal desde as eleições autárquicas de 2001. O PS alcançou 53,52% dos votos nas últimas eleições, enquanto o PSD obteve 32,91% e a CDU apenas 8,94%. Os dois partidos derrotados surgem agora com novas caras, nomeadamente Bruno Costa (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) e Francisco Keil do Amaral (CDU).

————————————————————————————–

SILVES

Rosa Palma (CDU) foi a grande surpresa das últimas eleições autárquicas no Algarve, ao conquistar a Câmara Municipal de Silves com 34,68% dos votos, quebrando um domínio de 16 anos do PSD naquele concelho. Recorde-se que a CDU tinha perdido as eleições autárquicas em 1997 para o PSD, que desde então esteva à frente dos destinos da autarquia, primeiro com Isabel Soares e, depois, com Rogério Pinto, que em 2013 ficou no segundo lugar, com 27,32%, enquanto no último lugar do pódio eleitoral ficou o PS, com 25,62% dos votos. Rogério Pinto volta a ser o rosto do PSD, enquanto o PS avança com Fátima Matos, o BE com Rui Barradas e o CDS-PP/PPM com Paula Sousa.

————————————————————————————–

TAVIRA

No concelho de Tavira, o socialista Jorge Botelho vai tentar a reeleição, depois de vencer as últimas autárquicas com 46% dos votos, derrotando o candidato do PSD e antigo presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, José Estevens, que obteve 36% dos votos, enquanto os restantes partidos não ultrapassaram os 7%. Nestas eleições de 2017, o PSD avança com Elsa Cordeiro, o BE aposta em José Manuel do Carmo, a CDU apresenta Miguel Cunha, o CDS-PP conta com João Carvalho e há ainda um candidato independente (Loucos por Tavira), Carlos Nunes.

–————————————————————————————-

VILA DO BISPO

Apesar de não ter reunido o consenso no seio dos socialistas de Vila do Bispo, o atual presidente Adelino Soares (PS) apresenta-se como candidato a um novo mandato nestas eleições. Depois de conquistar mais de 58% dos votos nas autárquicas de 2013, Adelino Soares pretende cumprir um terceiro e último mandato à frente dos destinos da autarquia de Vila do Bispo. Mas, para isso, vai ter de arrecadar mais votos que Afonso Nascimento (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), Paula Vilallonga (CDU) e Sebastião Pernes (BE) no próximo dia 1 de outubro.

————————————————————————————–

VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

A saída de cena do presidente Luís Gomes (PSD), depois das vitórias nas autárquicas em 2005, 2009 e 2013, deixa em aberto o que poderá acontecer nas próximas eleições no concelho de VRSA. Os sociais-democratas apostam agora em Conceição Cabrita para dar continuidade ao seu domínio eleitoral na última década, mas o PS apresenta como “trunfo” o antigo presidente da câmara, António Murta, que governou os destinos desta autarquia durante vários anos, até ser derrotado por Luís Gomes, em 2005. Murta tentava então a reeleição para um quinto mandato, o terceiro consecutivo, depois de um interregno de 1993 a 1997 em que a câmara foi liderada pela CDU. Álvaro Leal (CDU) e Celeste Santos (BE) são os outros candidatos que querem intrometer-se nesta luta e conquistar a presidência da câmara.

————————————————————————————–

Nuno Couto | Jornal do Algarve

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste