Aljezur assegura apoio domiciliário aos idosos

A Câmara de Aljezur assinou um protocolo, na semana passada, com a Santa Casa da Misericórdia de Aljezur, com vista a apoiar a manutenção de dois importantes serviços de apoio domiciliário, nas freguesias de Odeceixe e de Bordeira. O momento contou com a presença da diretora do Centro Distrital da Segurança Social de Faro, Margarida Flores.

“Apesar de estarmos perante serviços de apoio aos mais idosos da população, estes dois centros estavam em risco de fechar, uma vez que o número de utentes está abaixo da capacidade contratualizada com o CDSS de Faro e mesmo da sua capacidade total, por falta de utentes naqueles serviços. Sendo paradoxal é uma realidade que, segundo a diretora do CDSS de Faro, se está a revelar transversal aos concelhos do Algarve, colocando problemas de sustentabilidade e no funcionamento destas respostas”, adianta a autarquia liderada pelo presidente José Gonçalves.

Antes da assinatura do protocolo, o autarca realizou uma reunião de trabalho com Margarida Flores, onde foram analisadas várias questões relacionadas com a sustentabilidade das respostas e das instituições, face aos novos problemas e desafios que afetam o concelho de Aljezur. Exemplo disso é a situação da localidade de Alfambras, com muita habitação dispersa e ainda sem serviço de apoio domiciliário, mas onde residem muitos idosos. “Sendo um serviço que é realizado casa-a-casa, o povoamento disperso onera em muito as instituições que o realizem e as comparticipações da Segurança Social não têm em conta o custo da deslocação, que representa tempo das equipas, combustíveis, viaturas e o seu natural desgaste”, salienta a autarquia.

“Assiste-se a uma alteração na procura de serviços”

Foi ainda analisada a menor procura destes serviços à terceira idade, que “se justifica em parte pela longevidade dos mais velhos, com mais qualidade de vida e mais autonomia e que só quando deixam de poder cuidar de si próprios recorrem ao SAD”.

Mas também porque “se assiste a uma alteração na procura de serviços, deixando uns abaixo da sua capacidade e outros com uma procura sobre elevada, como é o caso dos lares residenciais, sem que o quadro normativo de cada uma se tenha adaptado ou mostre versatilidade na adequação aos novos perfis de procura ou às diferentes realidades geográficas e sociais”.

Na ocasião da assinatura do protocolo, o presidente da câmara, José Gonçalves, realçou a qualidade do serviço prestado pela SCMA, com duas visitas diárias a cada utente durante toda a semana, incluindo sábados, domingos e feriados, o que representa “uma enorme mais valia na prestação de cuidados e assistência da população idosa, retardando a sua institucionalização, continuando por isso a justificar-se a continuidade desta resposta social”.

JA

Advertisements
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste