ALGARVE CIÊNCIA

Almargem e Município de Loulé sensibilizam para plantas invasoras

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

A Associação Almargem, em parceria com a Câmara Municipal de Loulé, irá dinamizar, nos próximos dias 23 e 24 de junho, duas ações online sobre a temática das plantas invasoras, destinadas a diferentes públicos-alvo, anunciou o Município.

Trata-se de uma iniciativa integrada no projeto “Loulé – Cadoiço e Megalapiás”, que a Almargem se encontra a desenvolver com o objetivo de promover a valorização e divulgação de duas áreas de grande interesse ambiental, geológico, cultural e social do concelho de Loulé: a Ribeira do Cadoiço e os Megalapiás do Barrocal.

Reconhecendo que a presença de uma elevada densidade de plantas exóticas, com potencial invasor, poderá ter impactos negativos nos territórios, não apenas do ponto de vista ambiental, pretende-se desenvolver estas ações como forma de informar e sensibilizar para esta problemática já que toda a população poderá ter um papel ativo na prevenção e resolução do mesmo.

A primeira ação online – Ação de Formação Teórica – acontece dia 23, das 14:30 às 17:30, destinada a técnicos de administração pública regional e local. Nesta sessão será feita uma introdução à problemática das invasões biológicas e descritas as principais etapas de gestão e controlo das espécies de plantas invasoras mais comuns da região

Já no dia 24, das 21:00 às 22:30, o público em geral poderá participar numa Ação de Sensibilização onde será feita uma breve introdução às plantas invasoras, o que são e como as controlar, e serão promovidas as boas práticas de gestão e controlo das mesmas.

Ambas as sessões são gratuitas, mas com inscrição obrigatória e serão conduzidas por Elizabete Marchante, investigadora na área das invasões biológicas no Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra, e Hélia Marchante, professora na Escola Superior Agrária de Coimbra e investigadora no Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra. Ambas se dedicam à divulgação deste tema e dão apoio em projetos de gestão/controlo de plantas invasoras.

As plantas invasoras são plantas não nativas que se desenvolvem muito rapidamente e escapam ao controlo do Homem, invadindo sistemas naturais, seminaturais ou antropizados e causando prejuízos ambientais e económicos elevados. Ao tornarem-se espécies dominantes, reduzem a biodiversidade, uma vez que fazem uso dos recursos necessários à sobrevivência das espécies indígenas, afetando o equilíbrio ecológico, aumentando o risco de propagação de incêndios, acelerando a degradação dos solos, e prejudicando a saúde pública, favorecendo a propagação de pragas e doenças.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: