Antigo modo de vida inspira festival em Alcoutim

Um antigo, suado e perigoso modo de vida – mas também uma ‘arte’ de comercializar às escondidas da lei –, dá o mote para mais uma edição do Festival do Contrabando, entre 29 e 31 de março. Durante três dias, os visitantes poderão contar com uma recriação histórica da época em que a população fazia contrabando para sobreviver, arriscando muitas vezes a vida, para não ser apanhada pelos guardas-fiscais dos dois lados da fronteira

> NUNO COUTO

Durante muitos anos, as margens do Guadiana foram palco de um “jogo” muito perigoso entre contrabandistas e guardas-fiscais. É esta época que vai ser recriada, ao longo de três dias, na vila raiana de Alcoutim, assim como na localidade espanhola de Sanlúcar do Guadiana, localizada na margem oposta do rio.

Trata-se da terceira edição do Festival do Contrabando, integrado na programação do ‘365 Algarve’, que, de 29 a 31 de março, promete atrair milhares de visitantes a Alcoutim para assistirem a um conjunto de atividades. Entre elas, destaca-se a recriação histórica de uma época em que muitos residentes faziam contrabando para sobreviver e arriscavam, muitas vezes, a vida, para não ser apanhados pelos guardas-fiscais, em Portugal, e pelos carabineiros, no lado espanhol…

Leia a notícia completa na edição em papel.

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste