Arranca a operação “Verão Seguro 2018”

.

.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) reforça, durante o verão, em todo o território nacional, as ações de patrulhamento e apoio na sua área de responsabilidade, com particular ênfase para os locais de veraneio mais frequentados da orla marítima, festas, romarias e eventos de grande dimensão, bem como nos principais eixos rodoviários.

No âmbito desta operação está ativo o Programa Chave Direta, com o objetivo de garantir a segurança das residências habituais dos cidadãos que se encontram de férias, através da realização de ações de patrulhamento junto das mesmas durante a ausência dos seus proprietários. A adesão ao programa deve ser solicitada pelo menos 48 horas antes da ausência dos proprietários da residência, através do registo disponível on-line em Verão Seguro ou no posto da GNR da sua área de residência. De realçar que nos últimos dois verões, foram registadas 3 278 residências sem nenhuma ocorrência.

Também no âmbito da operação Verão Seguro, a GNR realiza o Programa Turismo Seguro, com o objetivo de promover o apoio, a segurança e o combate ao crime contra o turista, nacional ou estrangeiro, contribuindo assim para uma estadia pacífica para quem visita Portugal, para além do reforço de patrulhamento especializado com vista ao atendimento, acolhimento e encaminhamento destes cidadãos em específico. Os militares desenvolvem ainda ações de informação e sensibilização a este público em específico, com a intenção de prevenir os potenciais riscos e perigos durante a sua estadia.

Para promover e facilitar o policiamento de proximidade com os turistas e numa conjuntura de cooperação internacional, três militares da Guardia Civil espanhola e três militares da Gendamarie Nationale francesa, realizarão patrulhamento misto nas zonas balneares mais turísticas do Algarve, Lisboa e Setúbal, durante os meses de julho e agosto.

A GNR irá também reforçar o patrulhamento nas zonas turísticas espanholas e francesas mais frequentadas pelos portugueses, como Pontevedra (Espanha) e Landes e Estancarbon (França), com sete militares. Haverá ainda um reforço do patrulhamento misto com a Guardia Civil, em território português e espanhol, junto às zonas fronteiriças, em eventos de maior dimensão.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste