COVID-19

Associação Discotecas do Sul diz que abertura em outubro chega tarde

bliss vilamoura discoteca

A Associação de Discotecas do Sul e Algarve (ADSA) considerou que a reabertura do setor a partir de outubro chega “tarde” para os espaços de diversão noturna da região, que têm “mais um verão perdido”.

O presidente da ADSA, Liberto Mealha, congratulou-se, no entanto, por bares e discotecas de outras regiões do país poderem retomar a atividade com a reabertura anunciada pelo Governo, no âmbito do plano de desconfinamento traçado para acompanhar uma evolução positiva da pandemia de covid-19.

“Mais vale tarde do que nunca, mas o que é facto é que, na verdade, sendo anunciado as discotecas a abrir em outubro, para nós Algarve não surte efeito nenhum, é mais um verão perdido, porque, sendo nós sazonais, em outubro a época praticamente está terminada e a decisão é muito prejudicial”, afirmou Liberto Mealha.

Numa reação ao anúncio feito na quinta-feira pelo primeiro-ministro, António Costa, no final do Conselho de Ministros, Liberto Mealha destacou a importância da medida para as empresas do setor que operam noutras regiões portuguesas.

“Para o resto do país, finalmente houve aqui esta abertura, embora já um bocado tarde, mas estou satisfeito pelos colegas que estão em Lisboa e Porto, que podem usufruir e continuar a trabalhar, agora aqui no Algarve não nos serve para nada esta decisão”, reiterou o presidente da ADSA, que é também vice-presidente da Associação Nacional de Discotecas. 

Liberto Mealha lamentou que, com a abertura em outubro, 2021 seja “mais um ano perdido” à semelhança do que aconteceu em 2020, com efeitos negativos para o emprego e a saúde financeira das “cerca de 20 discotecas que matem atividade em todo Algarve”.

A mesma fonte sublinhou que cada discoteca tem “uma média de 20 a 25 empregados, algumas com mais, e são seguramente umas 500 famílias afetadas” pela impossibilidade de as discotecas algarvias trabalharem durante verão.

“Em relação ao resto do comércio, foi uma decisão acertada, porque na verdade já estávamos a ter muitos turistas a dizer que não valia a apena vir para Portugal ou para o Algarve com horários até as 22:30”, disse ainda a mesma fonte, frisando que este posicionamento também já estava a ser observado junto de turistas do Reino Unido, que “optavam por Espanha e não por Portugal por causa do horário”.

Os bares e discotecas vão permanecer encerrados até outubro, mês em que poderão reabrir para clientes com certificado de vacinação contra a covid-19 ou de recuperação da doença ou com teste negativo, anunciou o primeiro-ministro.

Os espaços de diversão noturna estão encerrados permanentemente desde março de 2020 por causa da pandemia e poderão reabrir em outubro, quando as autoridades estimam que 85% da população portuguesa esteja com a vacinação completa contra a covid-19, disse António Costa.

O primeiro-ministro falava no final do Conselho de Ministros, que aprovou três novas fases de levantamento das restrições em vigor por causa da pandemia e de retoma gradual de algumas atividades, sendo a primeira fase em 01 de agosto (57% população vacinada), a segunda em 05 de setembro (71%) e a última em outubro (85%).

“Nessa fase será então possível que bares e discotecas possam reabrir”, disse António Costa, que acrescentou que os frequentadores terão de apresentar os certificados digitais e testes negativos, que são já agora pedidos na restauração.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste