ALGARVE

Associações lançam crowfunding para travar projeto nas Alagoas Brancas

Campanha contra o betão nas Alagoas Brancas
Campanha contra o betão nas Alagoas Brancas

As associações Almargem – Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve e Cidade da Participação – Associação Cívica acabam de lançar uma campanha de angariação de fundos através da plataforma GoFundMe para travar a urbanização das zonas húmidas das Alagoas Brancas, em Lagoa, enfrentando a autarquia local em tribunal.

“Contrariamente ao que seria de esperar, o Município de Lagoa continua insistindo em permitir a destruição de uma zona húmida, ignorando o seu valor ecológico e permitindo a construção em zona inundável, escrevem os organizadores na página da campanha.”

Em causa está a previsão de construção de uma superfície comercial na zona, uma das últimas zonas húmidas de água doce do Algarve e que integra a área urbana da cidade de Lagoa. Recentemente estudadas pela Almargem em parceria com a SPEA – Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, as Alagoas Brancas revelaram grande “riqueza ecológica”, tendo sido identificadas “114 espécies de aves, 1% da população regional de íbis-preta, 1% da população nacional de carraceiro”.

Para Lucinda Caetano e Victor Lourenço, responsáveis pela campanha,  “é preciso parar este processo.” No entanto, é necessária ajuda, a qual esperam conseguir através do crowdfunding agora criado. “Ajuda para cobrir despesas judiciais; ajuda para preparar materiais informativos sobre zonas húmidas em especial sobre as Alagoas; ajuda para preparar uma exposição sobre a história das Alagoas; ajuda na preparação de materiais de divulgação.”

As associações esperam reunir cerca de 10 mil euros para dar continuidade ao seu trabalho e aos procedimentos judiciais para travar a urbanização da zona.

Conheça melhor a campanha para salvar as Alagoas Brancas em:

https://pt.gf.me/v/c/gfm/salvar-as-alagoas-brancas-de-lagoa-algarve

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste