Atletismo adaptado: Nélson Gonçalves faz balanço positivo da prestação no campeonato do mundo

Nélson Gonçalves é atleta do GD Pic-Nic, de Vila Real de Santo António
Nélson Gonçalves é atleta do GD Pic-Nic, de Vila Real de Santo António

O atleta lesionou-se logo na primeira prova, mas mesmo assim conseguiu o seu melhor registo em competições internacionais no lançamento do dardo

Domingos Viegas

O atleta paralímpico algarvio Nélson Gonçalves (cego total, classe F11) alcançou o quinto lugar na prova de dardo, o décimo no disco e o 11.º no peso, nos campeonatos do mundo de atletismo adaptado, que decorreram na cidade francesa de Lyon e que terminaram no passado domingo.

Mesmo sem medalhas e sem pódios, Nélson Gonçalves faz um balanço positivo da sua participação, tendo em conta a lesão (contratura muscular no braço usado para os lançamentos) que o afetou ao longo de praticamente toda da competição.

“Penso que deixei o Algarve bem visto e bem representado, apesar de as minhas classificações não terem sido tão boas como as que consegui nos Jogos Paralímpicos. Esta minha participação correu com imprevistos, nomeadamente o facto de ter contraido uma lesão durante as competições, o que acabou por prejudicar o meu desempenho.”, explicou o atleta algarvio.

Registos próximos das marcas de referência

Nélson Gonçalves lesionou-se durante a primeira prova, a do lançamento do disco, não conseguindo passar da marca de 26,66 metros (10.º lugar), um pouco àquem do seu melhor registo da época (27,76 metros). Mas acabaria por aproximar-se dos registos de referência nas provas seguintes.

Mesmo lesionado, o atleta algarvio alcançou o quinto lugar na prova do lançamento do dardo, com a marca de 33,76 metros, o melhor registo que conseguiu até hoje em campeonatos internacionais.

Com este resultado, Nélson Gonçalves ficou muito perto da melhor marca nacional, que ainda lhe pertence (34,05 metros).

No peso obteve o 11.º lugar com um lançamento de 9,33 metros. “O objetivo seria melhorar a marca da época, a qual daria uma muito melhor posição de ‘ranking'”, explica o atleta, recordando que o melhor registo da época é de 9,99 metros.

“Dentro das condições físicas do momento, eu e o meu treinador consideramos que o resultado foi bastante bom. Mesmo com a lesão, aproximei-me bastante das marcas de referência”, considerou Nélson Gonçalves.

“Tentaram passar uma imagem negativa”

No entanto, o atleta mostrou-se aborrecido pelo facto de alguns órgãos de comunicação terem desvalorizado os seus resultados neste campeonato mundo.

“Apesar de alguns meios terem passado uma imagem negativa sobre a minha participação, e eu ter de gerir toda a problemática da lesão, volto a referir que penso que os resultados foram bons. Penso que o Algarve não ficou derrotado”, frisou o atleta algarvio.

Resultados da Seleção refletem “falta de apoios das entidades responsáveis”

Nélson Gonçalves refere, ainda, que os resultados da Seleção Nacional acabam, também, por ser o relexo da falta de aposta do país nestas modalidades.

“De dia para dia e de ano para ano, os países estrangeiros apostam mais e colocam as fasquias mais altas. Portugal tenta acompanhar, mas os nossos resultados são o reflexo da real aposta que é feita no nosso país nestas modalidades”, considera o atleta.

Para Nélson Gonçalves, as entidades que tem a responsabilidade de proporcionar as melhores condições para a Selecção Nacional “não o estão a fazer a 100 por cento, pois continuam a existir muitas lacunas”, conclui o atleta algarvio, que representa o Grupo Desportivo Pic-Nic, de Vila Real de Santo António.

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste