Bombeiros de Aljezur apagam fogos mas também dão música

A Câmara de Aljezur reconheceu na semana passada o “trabalho de excelência” da escola de música e da banda filarmónica da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Aljezur.

“A autarquia reconhece o trabalho desenvolvido, no âmbito cultural e mais propriamente na formação musical, com a sua escola de música e com a banda filarmónica, um dos embaixadores do município”, realçou em comunicado o presidente da Câmara de Aljezur, José Gonçalves, frisando que “a autarquia continua empenhada em manter o apoio na manutenção e afirmação de todas as vertentes que desenvolve, nomeadamente no trabalho desenvolvido pela sua banda filarmónica, embaixador cultural do município de Aljezur, assim como o reconhecimento pela qualidade do trabalho desenvolvido com os jovens do concelho”.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Aljezur criou a banda filarmónica em 1988, à qual associou a escola de música. “Desde então, este tem sido um projeto sócio-educativo e cultural de interesse relevante para o concelho de Aljezur, que tem vindo a envolver músicos das várias camadas etárias, onde neste momento a banda tem cerca de 40 músicos, assim como a escola de música que movimenta cerca de 30 alunos”, na sua maioria jovens entre os 11 e 26 anos, revela o autarca de Aljezur.

Entretanto, a banda filarmónica encetou um processo de renovação, sendo que um dos objetivos passa por ter um maestro disponível a tempo inteiro, nomeadamente para realizar ensaios com os jovens músicos a horas menos tardias e que não prejudiquem os seus compromissos escolares.

Assim, ambas as instituições estão de acordo sobre a necessidade de rever e atualizar o acordo de cooperação existente, de forma a garantir a presença do maestro Ricardo Pires à frente da escola de música e da banda filarmónica.

Historial da banda

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Aljezur, com os primeiros estatutos aprovados pelo Governo Civil de Faro, em 16 de abril de 1975, para além do seu principal objetivo – deter e manter um corpo de bombeiros voluntários – dedica grande atenção às atividades socioculturais, sendo a banda filarmónica a expressão mais significativa. Apresentada ao público em 29 de abril de 1990, a banda é o corolário do esforço de muitas pessoas que se quiseram associar em torno de um objetivo comum: que o concelho de Aljezur voltasse a ter uma banda de música.

“Para além da tradição da existência de uma filarmónica, fundada em 1815 e extinta em 1943, nada mais havia do que o desejo de se voltar a ouvir e praticar esta forma de música tão tradicional no país. Após inúmeras diligências levadas a efeito, em 19 de maio de 1988, a Delegação Regional do Sul da Secretaria de Estado da Cultura cedeu 15 instrumentos e atribuiu um subsídio para fazer face às despesas com a escola de música. A campanha de angariação de fundos que se seguiu contou com grande participação popular e de vários organismos oficiais o que contribuiu significativamente para o êxito da iniciativa”, lembram os responsáveis da corporação.

Assim, a 15 de outubro de 1988, abriu oficialmente a escola de música e a primeira entrega de instrumentos aos alunos que se encontravam mais adiantados na aprendizagem realizou-se no dia 8 de janeiro do ano seguinte.

Em maio de 1998, aquando do Dia Regional do Bombeiro, foi agraciada com a medalha de serviços distintos grau ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses. E, a 29 de agosto de 2002, foi agraciada com a medalha de mérito cultural grau ouro atribuída pela Câmara Municipal de Aljezur.

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste