MUNDO ÚLTIMAS

Boston: Polícia concentra investigações nos subúrbios

Martin Richard (foto retirada do facebook)Barack Obama classificou de “acto de terror” as explosões na Maratona de Boston, depois do Governador do estado de Massachusetts, Deval Patrick, e o Presidente da Câmara da maior cidade do Estado, Thomas Menino, terem feito o mesmo, ao início da manhã 9h30 locais (14h30), durante a primeira conferência de imprensa do dia.

Questionado se o “acto de terror” corresponde a um atentado levado a cabo por um grupo americano ou estrangeiro, Ed David, Comissário da Polícia de Boston, escusou-se a comentar.

Oficialmente não existem detenções, confirma o FBI, mas as atenções das autoridades concentram-se na zona suburbana, a leste de Boston.

Após terem vistoriado, ainda ontem (madrugada de hoje em Lisboa), um apartamento na localidade de Revere, a polícia de Boston detectou hoje um veículo suspeito parado num parque de estacionamento em Canton, de onde retiraram uma bilha de gás. O FBI não confirmou que se tenha tratado de falso alarme.

Amigo do alegado suspeito nega acusações

Mohamad Bara, um dos três jovens sauditas que vivem no apartamento em Revere e que ontem a polícia passou a pente fino, explicou esta manhã que as autoridades levaram vários pertences em quatro sacos de plástico, mas confessou que não se lembra o estado em que ficou a habitação após a saída dos agentes.

Bara e outros dois indivíduos são estudantes de inglês em Boston. Um deles continua internado no “Massachusetts General Hospital” com queimaduras graves, um indivíduo que o jornal “New York Post” indica ser suspeito.

“Não pode ser. Ele é boa pessoa”, explicou Mohamad Bara, à porta do número 364 da Ocean Avenue, em Revere, mostrando-se bastante disponível para responder a todas as perguntas dos jornalistas num inglês perceptível.

A tragédia dos Richards

Igualmente nos arredores de Boston, em Dorchester, flores e velas forram a entrada da casa da família Richards. Martin, de oito anos, morreu ontem quando esperava pelo pai, um dos milhares de participantes na Maratona de Boston. Vítimas da primeira explosão, a irmã Jane perdeu a perna esquerda e a mãe Denise foi operada ontem de urgência. Hoje já não corre perigo de vida.

Bill Richards passou a noite no hospital e apenas foi a casa, perto da 7h locais (12h em Lisboa), para buscar alguns pertences, saindo rapidamente.

FBI alerta para o perigo dos rumores

Esta manhã Richard Deslauriers, líder do FBI em Boston, confirmou a existência de apenas dois engenhos, contrariamente às informações reveladas ontem de que teriam existido outras cinco bombas desactivadas.

No centro de Boston, o perímetro de segurança em redor da zona de meta da maratona foi reduzido de 15 para 12 quarteirões (cerca de quatro quilómetros). No local existem centenas de pequenos sacos amarelos com pertences dos atletas, que abandonaram o local em pânico – cartões de crédito, chaves e dinheiro que tinham sido entregues no início da prova para serem posteriormente devolvidos.

Os últimos números da tragédia apontam para três mortos e 176 feridos, 17 deles com gravidade.

JA/Rede Expresso
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: