Câmara de Loulé e Universidade do Algarve promovem investigação da história regional

António Rosa Mendes (dir), diretor do CEPHA, e o edil louletano Seruca Emídio
António Rosa Mendes (dir), diretor do CEPHA, e o edil louletano Seruca Emídio

Acordo foi celebrado no dia em que Loulé celebrou 25 anos da elevação a cidade

.

A Câmara Municipal de Loulé, através do Arquivo Municipal, e a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, através do Centro de Estudos de Património e História do Algarve (CEPHA), celebraram um acordo de colaboração que tem por objetivo a divulgação e valorização da história regional e local nas suas várias componentes.

Esta iniciativa, oficializada no dia em que Loulé comemorou 25 anos da elevação a cidade, surge no âmbito de um protocolo mais vasto firmado em 2000.

O CEPHA irá tentar incentivar e enviar investigadores anualmente (alunos, professores ou outros investigadores do Centro), para desenvolverem os seus estudos nos fundos documentais existentes no Arquivo Municipal de Loulé. Por seu turno, o Arquivo assegurará o apoio para que os investigadores possam desenvolver o seu trabalho.

Um grupo de académicos daquela faculdade irá decidir sobre a qualidade dos trabalhos desenvolvido, de forma a estudar a possibilidade de os mesmos serem publicados, num livro ou mesmo nos denominados Cadernos do Arquivo. Refira-se que todos os investigadores deverão realizar, concluir e entregar o trabalho final ao Arquivo de Loulé.

O CEPHA propõe-se ainda a fazer um estudo do fundo documental “Família Barreto” (162 fólios), uma importante família que instituiu o Convento de Santo António, com a respetiva transcrição e ordenação dos documentos. Este estudo será também alvo de publicação nos Cadernos do Arquivo, caso demonstre características para o efeito.

A coordenação das investigações, desenvolvimento do trabalho e sua conclusão são da responsabilidade do CEPHA, em colaboração com o Arquivo Municipal de Loulé.

Maria Helena Martins, subdiretora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, sublinhou a “mais-valia que constitui esta colaboração para o estudo da História regional”.

Por seu turno, António Rosa Mendes, o responsável do CEPHA, falou do papel deste Centro no sentido de “mobilizar os estudantes desta área de História e Património para prosseguirem as suas investigações, ganharem experiência, manterem o contato com a Faculdade e para que, eventualmente, a Faculdade os possa apoiar na prossecução das suas questões profissionais”.

Este académico enalteceu ainda o papel do Arquivo Municipal de Loulé: “Loulé é um manancial inesgotável de fontes históricas, tem um dos arquivos mais bem apetrechados do país e tem dedicado uma grande atenção à sua História e ao seu passado”. E prometeu “mobilizar os jovens para futuras investigações neste Arquivo”.

O presidente da Câmara Municipal de Loulé, Seruca Emídio, sublinhou a importância da História para a entidade do concelho e a valorização do património histórico, frisando que Loulé “tem um património histórico valiosíssimo que nos orgulha a todos”. O autarca falou ainda da colaboração que tem existido com a Universidade do Algarve e que tem ajudado a compreender a História do Algarve.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste