Câmaras algarvias são as que mais gastam em cultura e desporto

As despesas municipais em cultura e desporto têm vindo a aumentar desde 1990, mas os maiores aumentos ocorrem nos anos em que se realizam eleições autárquicas, revelam dados coligidos pelo ISCTE, Instituto Universitário de Lisboa.

Estes dados, que resultam de uma análise das estatísticas oficiais, revelam que os maiores aumentos ocorreram em 1993 (230 milhões de euros), 1997 (380 milhões de euros), 2001 (680 milhões de euros) e 2005 (950 milhões de euros), refere uma nota de imprensa do ISCTE.

A análise sobre a evolução das despesas municipais em cultura e desporto (que, desde 1990, só não aumentaram em 2006) serão apresentados e discutidos terça feira durante um seminário sobre “Cultura e Criatividade nos Novos Modelos de Desenvolvimento”, promovido pelo GEST IN. Cultura, Centro de Estudos e Projetos em Política, Desenvolvimento e Gestão do Património, Indústrias Culturais e Actividades Criativas, um pólo de investigação associado do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Segundo Alexandra Fernandes, professora do ISCTE e responsável pela organização do evento, no seminário serão apresentados e discutidos vários estudos, desenvolvidos a partir das estatísticas oficiais.

Estes estudos – afirma Alexandra Fernandes – “permitem aferir em que medida os sectores cultural e criativo contribuem para a realização de riqueza e para a geração de emprego em Portugal”.

“ [O seminário] procura explorar o papel que a cultura e a criatividade de base não tecnológica podem desempenhar na definição de estratégias de promoção económica, social e territorial, socorrendo-se para tanto do confronto de experiências obtidas neste campo em diferentes regiões do País, bem como do testemunho de especialistas em modelos de desenvolvimento”, acrescenta.

Na sequência dos estudos efetuados sobre o sector da cultura e criatividade em Portugal, o GEST IN. Cultura concluiu que o Algarve é a região em que as despesas municipais per capita, em cultura e desporto, são mais elevadas (169,2 euros).

No Alentejo os gastos nestas duas áreas atingem os 150,5 euros per capita, nos Açores 89,7 euros, no Centro 78,6 euros e no Norte 70,6 euros, sendo a média nacional de 75,8 euros.

A região de Lisboa (46,8 euros) e a Madeira (49,4 euros) aparecem como as que apresentam as despesas municipais per capita em cultura e desporto mais baixas, mas este facto é atribuído aos grandes investimentos realizados pelo Governo Central e pelo Governo Regional da Madeira, que, na prática, substituem as autarquias no financiamento destas duas áreas.

O GEST IN. Cultura, que integra uma equipa de especialistas em Gestão, Desenvolvimento, Direito e Planeamento Estratégico, tem como finalidade contribuir para o desenvolvimento do conhecimento nas áreas da política, economia e gestão das indústrias culturais e atividades criativas.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Jornal do Algarve/Lusa

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste