“Caravanismo selvagem já tomou proporções alarmantes”

A falta de alternativas está a levar à proliferação do campismo e autocaravanismo selvagem no parque natural da Costa Vicentina. “A situação tomou proporções de descontrole em 2018 e está cada vez pior”, alertam os autarcas, defendendo a criação de mais infraestruturas em Aljezur e Vila do Bispo para resolver este problema, além de uma maior fiscalização nas zonas onde o lixo já tomou conta da paisagem

O caravanismo e campismo sem regras continua a crescer na área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), de tal modo que os autarcas falam de “um cenário que tomou proporções de descontrole no ano de 2018”. E este ano a situação está ainda pior!

“Tornou-se habitual assistir a caravanas ou furgões transformados em caravanas estacionados junto a falésias, tendas em cima de dunas ou estacionamentos para utentes das praias transformados em verdadeiras áreas de serviço. Simultaneamente, junto a estes locais, é frequente verem-se verdadeiras casas de banho a céu aberto, uma vez que muitos destes veículos não possui casa de banho. E isto sem falar da proliferação de lixo junto a trilhos, restos de fogueiras, entre outros”, denuncia a Associação de Freguesias do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, que é formada pelas freguesias dos concelhos de Sines, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo.

Numa tomada de posição conjunta, divulgada esta semana, os autarcas destas freguesias manifestam a sua preocupação com esta situação, lembrando que têm alertado as autoridades para o “evidente descontrolo” e para “as proporções que este problema tomou nos últimos anos”…

Leia a notícia completa na edição em papel.

Tags

pub

 

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste