Castro Marim: Francisco Amaral vai demitir-se para forçar novas eleições

Autarca, que está sem maioria desde 2017, considera que a oposição está a “destruir e a boicotar” o trabalho do executivo e que é preciso voltar a dar “a palavra ao povo”. Amaral pretende recandidatar-se e “obter a maioria absoluta”, afirmou

DOMINGOS VIEGAS 

O executivo da Câmara Municipal de Castro Marim, liderado pelo social democrata Francisco Amaral, vai demitir-se “no final deste mês, ou, o mais tardar, no início do próximo” para que possa haver novas eleições “durante o mês de abril”, garantiu o autarca em declarações ao Jornal do Algarve.

Junto com o executivo “vai demitir-se em bloco toda a lista” que concorreu nas últimas eleições (coligação ‘Castro Marim Mais Humano’, que juntou PSD e CDS), assegurou o edil.

Francisco Amaral tinha sido reeleito nas eleições autárquicas realizadas em 2017, mas a coligação liderada pelo PSD ficou sem maioria. Neste novo mandato, o executivo passou a ser constituído apenas pelo presidente e pela vice-presidente Filomena Sintra enquanto a oposição ficou com três vereadores (dois do PS e um do movimento CM1).

“Nota-se, claramente, que há uma coligação na oposição que está ali só para boicotar a ação do executivo e destruir. A oposição retirou-me as competências que qualquer presidente de Câmara tem, há obras que estão paradas, as reuniões de Câmara passaram a ser autênticos massacres de cinco ou seis horas onde não se discute nada de concreto, em dezembro aprovámos atas de março… É vergonhoso e o povo está farto disto. Por isso, vamos dar a palavra ao povo”, explicou Francisco Amaral.

O autarca já esteve reunido com o secretário de Estado das Autarquias e, agora, assegurou que o pedido de demissão será entregue àquele governante e ao presidente da Assembleia Municipal “no final deste mês, ou, o mais tardar, no início do próximo”, de forma a ter algum tempo para “arrumar a casa e tentar lançar algumas obras”, explicou.

Francisco Amaral explicou, ainda, que, assim que o pedido de demissão e a solicitação de realização de eleições for entregue, “será nomeada uma comissão de gestão, que será presidida pelo PSD, para gerir o município durante os dois meses e meio seguintes”, ou seja, até à realização das eleições.

“Espero que as eleições aconteçam durante o mês de abril, antes das eleições europeias”, declarou. Francisco Amaral confirmou que pretende recandidatar-se para “obter a maioria absoluta”.

Advertisements
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste