Castro Marim: Unidade Móvel de Saúde já funciona

.

.

A Unidade Móvel de Saúde de Castro Marim voltou a circular no interior do concelho, por decisão do presidente da Câmara, Francisco Amaral, depois de ter estado parada desde há cinco meses, altura em que a oposição, em maioria, chumbou a proposta do executivo para colocar o serviço em funcionamento.

“Lamento que estivéssemos cinco meses à espera de uma solução com médico, vinda da oposição, e ela não tivesse surgido”, refere Francisco Amaral, sublinhando que “ninguém, até hoje, compreendeu porque se acabou com um serviço tão importante como este para uma população tão carenciada e envelhecida, quando o objetivo, diziam, era melhorá-lo”.

O autarca, também médico, diz que foram cinco meses de “debates inglórios, muita politiquice e muita demagogia, sendo os mais prejudicados os destinatários deste serviço, que se viram privados das visitas periódicas das suas médicas”.

Sobre o atual funcionamento da UMS, Francisco Amaral acrescenta que “a incessante discussão fez com que, lamentavelmente, tivéssemos de arranjar forma de colocar a UMS a funcionar sem ir a reunião de câmara”.

Assim, através da contratação pública, ajustou-se com a Santa Casa da Misericórdia de Castro Marim e a UMS funciona agora com as mesmas médicas, faltando ainda a contratação de enfermeiro. “O serviço da UMS foi retomado há uma semana com grande satisfação da população idosa dos montes rurais do concelho”, sublinha o autarca.

“Não é a solução ideal, mas garante-se o funcionamento deste serviço a tempo inteiro, percorrendo diariamente todas as povoações do interior do concelho”, concluiu Francisco Amaral, fundador da primeira Unidade Móvel de Saúde do país, em Alcoutim, em 1995, e como autarca em Castro Marim, motivado pelo encerramento das extensões de saúde do Azinhal e Odeleite, da primeira UMS com médico.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste