ALGARVE

CEAT vai ser “âncora” do novo Polo de Inovação de Tavira

Numa sessão que reuniu mais de 20 entidades, foi celebrado o contrato de parceria para o Polo de Inovação de Tavira, na presença da ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, anunciou a Direção Regional da Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve.

Numa sessão que reuniu mais de 20 entidades, foi celebrado o contrato de parceria para o Polo de Inovação de Tavira, na presença da ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, anunciou a Direção Regional da Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve.

Num conjunto de 24 polos dispersos pelo país, o Centro de Experimentação Agrário de Tavira (CEAT) gerido pela DRAP Algarve será a âncora da área de especialização dedicada à Alimentação Sustentável, com o foco na Dieta Mediterrânica.

Este projeto faz parte da estratégia do Ministério da Agricultura, apresentada na Agenda de Inovação “Terra Futura”, e financiado pelo Programa de Recuperação e Resiliência (PRR).

O projeto junta até ao momento 23 parceiros com responsabilidade na dinamização, implementação e execução de atividades de investigação, inovação, formação, entre outras, com o objetivo comum de fazer deste projeto um Centro de referência Nacional da Dieta Mediterrânica.

O novo polo está a ser alvo de críticas por parte da agricultores do concelho, que prevêem a “destruição do CEAT e marcaram um protesto para a próxima sexta-feira.

Atualmente o Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT) reúne, numa propriedade com cerca de 30 hectares localizada em pleno núcleo urbano da cidade de Tavira, um vasto acervo de coleções de fruteiras tradicionais mediterrânicas, algumas únicas no País.

“Uma verdadeira “Arca de Noé” da biodiversidade agrícola a que se deve um reconhecimento especial a todos os agricultores que, generosamente cederam material vegetal e viram na DRAP Algarve o guardião dessas raridades”, enuncia a DRAP.

«Queremos que este Polo se torne um local privilegiado, não só para Tavira, não só para a Direção Regional de Agriculturas e Pescas do Algarve, não só para o Ministério da Agricultura, mas também para o país», realçou o diretor regional Pedro Valadas Monteiro durante a apresentação do projeto.

No âmbito de uma das parcerias constituídas, foi também nesta quarta-feira, homologado, pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, o protocolo celebrado entre o Município de Tavira e a Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve, para a implementação de uma “Horta Urbana”, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Para a concretização deste protocolo, foi disponibilizada uma parcela de terreno, no Centro de Experimentação Agrária de Tavira (CEAT), sendo que a criação da “Horta Urbana” será operacionalizada no âmbito do projeto Semente da Associação In Loco, o qual conta com o apoio de diversas entidades parcerias, nomeadamente da autarquia tavirense. Este tem como objetivo fomentar uma alimentação adequada, assim como disseminar os princípios da Dieta Mediterrânica.

Outra das iniciativas que tem como parceiro a autarquia tavirense, é a instalação do Museu do Mundo Rural do Algarve no antigo edifício do Posto Agrário, algo idealizado desde há muito tempo e que se pretende agora cumprir, bem como a Instalação do Centro de Ciência Viva – Quinta da Dieta Mediterrânica, em estreita colaboração com a Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica.

Outro dos parceiros deste projeto é o ABC – Algarve Biomedical Center, que se propõe criar no Polo de Inovação de Tavira, o Campus Med Life, destinado à formação num estilo de vida saudável, com atividades lúdicas associadas à componente formativa associada ao Estilo de Vida Mediterrânea, complementada com o recurso a tecnologias de realidade virtual. Este Campus disporá ainda de circuitos adequados para a prática do exercício físico ao ar livre, prevendo-se a sua utilização por várias gerações, desde a comunidade escolar até à população mais envelhecida. Associado ao Campus Med Life prevê-se ainda criado um Centro de Terapêuticas Digitais numa parceria entre o ABC e a Universidade Johns Hopkins, promovendo a manutenção da capacidade física e cognitiva da população e a reabilitação nas situações de doença.

Na cerimónia de apresentação do Polo de Inovação de Tavira foi também apresentado pela ministra da Agricultura o Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável (PNAES). “Sob os eixos “Consumo”, “Produção”, “Dieta Mediterrânica” e “Educação e Literacia Alimentar”, a missão deste Plano passa por estimular a produção nacional; promover a adoção de sistemas de produção e distribuição mais sustentáveis, com base nas cadeias curtas de abastecimento e nos sistemas alimentares locais; valorizar os produtos endógenos de qualidade; valorizar e salvaguardar a Dieta Mediterrânica, enquanto sistema e padrão alimentar característico do território nacional, criando e promovendo estímulos à sua adesão; e sensibilizar e aconselhar os consumidores e a população em geral para a adoção de uma alimentação nutricionalmente equilibrada e informada.

Este Plano nasce no âmbito da Agenda de Inovação “Terra Futura” e responde à Promoção da Dieta Mediterrânica e de uma alimentação equilibrada, diversificada e sustentável, tendo ainda em consideração a Estratégia Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (ESANP).”

PUB
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste