Células geneticamente modificadas salvam doentes de leucemia

Tratamento através de células geneticamente modificadas deu resultados inéditos em doentes adultos com leucemia linfóide aguda.

Cinco doentes adultos que sofriam de leucemia linfóide aguda – espécie de cancro das células sanguíneas – em fase considerada incurável, conseguiram a remissão total da doença através de um novo tratamento que recorreu às células dos próprios, geneticamente modificadas, revelaram cientistas do Memorial Sloan-Kettering Cancer Center de Nova Iorque.

Os doentes haviam anteriormente sido tratados através de quimioterapia mas, como frequentemente acontece, a doença regressou e já não poderia voltar a ser tratada da mesma forma, pois as células cancerígenas haviam-se tornado resistentes às drogas.

Células T “treinadas”

Células T "treinadas"Os cientistas norte-americanos decidiram então extrair dos cinco doentes células T, uma espécie de glóbulos bancos, e misturaram-nas com um vírus inofensivo que as “treinou” de modo a reconhecerem e matarem as células da leucemia.

As células T “treinadas” foram depois injetadas nos cinco doentes, que registaram completa remissão da doença. Um deles viria contudo a falecer por complicações não relacionadas com esta terapia.

Os resultados do novo tratamento, que os cientistas esperam que possa a ser adotado após novos dados, foram publicados na “Science Translational Medicine”.

Apesar de ser mais comum em crianças, a leucemia linfóide aguda é especialmente letal nos adultos, podendo matar em semanas.

Alexandre Costa
JA | REDE EXPRESSO
Advertisements

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar
Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste