China impede Navio Escola Sagres de atracar em Macau por ser navio de guerra

As autoridades chinesas negaram ao Navio Escola Sagres, que chega esta quarta feira a Xangai, a autorização diplomática para atracar em Macau, alegando que a autonomia da região não permite a visita de navios de guerra.

“Tínhamos a intenção de ir a Macau e pedimos, já há muitos meses, a autorização diplomática das autoridades de Pequim para o efeito, mas não nos foi concedida, porque em Macau não é permitida a visita de navios de guerra por se tratar de uma região chinesa com autonomia”, disse à Agência Lusa o comandante do navio, Proença Mendes.

“O Navio Escola Sagres não deixa de ser um navio de guerra, pois pertence à Marinha”, recordou o comandante em declarações por telefone à Lusa quando o Sagres se aproxima da costa chinesa depois de ter estado na Coreia do Sul, estando previsto atracar esta quarta feira em Xangai.

“Mas lamentamos que não possamos ir a Macau, pois esta é a primeira volta ao mundo que o navio faz depois da transferência de administração de Macau, de Portugal para a China. Mas são as regras da região”, observou o capitão-de-fragata.

O Navio Escola Sagres vai ficar em Xangai até ao dia 23, de onde parte rumo à capital timorense de Díli, já que a paragem em Macau, no dia 28, não foi autorizada.

Em Xangai, “será oferecida uma receção no navio às autoridades locais e à Marinha chinesa, a tripulação vai visitar a Expo 2010 e, particularmente, o pavilhão de Portugal, que irá organizar actividades especiais”, explicou o comandante Proença Mendes.

A Associação das Indústrias da Madeira e Mobiliário de Portugal, um dos patrocinadores desta terceira volta ao mundo do Navio Escola Sagres, vai aproveitar a deslocação à China para organizar ações de promoção do mobiliário nacional, com um almoço a bordo para potenciais parceiros, à semelhança do que fez em Tóquio (Japão).

“Em Xangai termina a viagem de instrução dos alunos da Escola Naval (total de 63) e os cadetes regressam a partir dali para Lisboa, por avião”, disse à Lusa o comandante do Sagres.

Nesta viagem à volta do mundo, a primeira em 26 anos, a Sagres já visitou países, como o Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador, México, Estados Unidos, Japão e a Coreia do Sul, faltando agora China, Indonésia, Timor-Leste, Singapura, Tailândia, Malásia, Índia, Egipto e Argélia.

“Temos sido muito bem recebidos em todo o lado, pois este é um navio espetacular. Por onde passa ganha amigos e todos estão encantados com esta forma de fazer diplomacia”, constatou o comandante Luís Proença Mendes.

A viagem do Sagres, a terceira à volta do mundo depois das circum-navegações realizadas em 1978/79 e em 1983/84, iniciou-se a 19 de janeiro para formar os alunos da Escola Naval e promover a imagem de Portugal no mundo, e prolonga-se por 11 meses, estando prevista a sua chegada a Lisboa a 23 de dezembro.

PNE.

***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Lusa/fim

Comentário

  • É inacreditável! Vivi em macau 8 anos e qq. coisa, e o Sagres já lá atracou, vistei-o eu! como é possível um revés desses, a China e seus governantes devia ter vergonha na cara!

Carregue aqui para comentar

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste