Cinema e Teatro com novidades no MED

Espaço MED Kids 2019

O Cinema e o Teatro serão reforçados e a zona dedicada às crianças – MED Kids – ganhará um novo espaço e mais atividades, este ano na 16.ª edição do Festival MED, em Loulé.

Da Rua do Município onde decorreu durante mais de uma década, o MED Kids passará nesta 16ª edição para um quintalão atrás da Igreja Matriz, paredes-meias com o Palco Arco. Este é um local onde as crianças poderão divertir-se num ambiente agradável, acolhedor e seguro, criando e experimentando atividades relacionadas com as culturas do mundo e o espírito do MED, enquanto os pais circulam pelo recinto do Festival. Durante quatro dias, o MED Kids receberá crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos acompanhadas por uma equipa de monitores. Mas este ano a grande novidade é a programação conjunta da Rádio Zig Zag, web rádio do grupo RTP direcionada a um público infantil, para além das habituais atividades desenvolvidas pela equipa da Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen.

A Zig Zag trará três rubricas de entretenimento para as crianças: das 20h00 às 20h30, “Sons do Meu Planeta”
(Ouves mesmo muito, muito bem? Então,
tenta adivinhar o som que vamos tocar!), das 20h30 às 21h30, “Coco Loco” (uma
hora de discoteca só para crianças com o Dj Coco e o MC Loco), e das 23h30 às
00h00, “Inspira Expira” (quando
o sol se deita, é hora de descansar na Rádio Zig Zag, com histórias perfeitas para
ajudar a acalmar depois de um dia de agitado). Nos momentos em que a
rádio não estará com oficinas, as crianças que queiram poderão fazer uma
visita, “brincar” e experimentar o fantástico mundo da rádio.


a Biblioteca, propõe uma atividade diferente por dia: dia 27, pelas 21h30, um ateliê de fantoches
de meia; dia 28, conto teatralizado inspirado na obra “A Fada Oriana”, pela II
ACTO Produções Artísticas (no âmbito das comemorações do Centenário de Sophia
de Mello Breyner Andresen); dia 29, teatro de marionetas “Pinóquio – O Início”;
dia 30, ateliê de origami.

O Cinema MED é, sem dúvida, um dos
mais significativos incrementos da programação desta edição. A sétima arte, que
em anos anteriores decorria na semana que antecedia o MED, em diversos espaços
da cidade, passa agora a integrar o cartaz e o recinto do MED.

Rui Tendinha, crítico de cinema, terá
a curadoria desta programação que passa pela estreia do filme do realizador
brasileiro Fellipe Barbosa, “Gabriel e a Montanha”, no dia 30 (“Open Day”), no
Palco Castelo, mas também a exibição de “curtas” na Casa do Castelo, espaço
localizado no Largo D. Pedro I, como aperitivo para os concertos, fazendo a
ligação entre música e cinema: dia 27, “Fade into Nothing”, de Paulo Furtado,
Rita Lino e Pedro Maia, “My Heart safe at home”, de Susana Abreu, e “Let
bygones be bygones”, de Susana Abreu; dia 28, “Corrente”, de Rodrigo Areias,
“Pixel Frio”, de Rodrigo Areias e “Amar é para os fortes”, de Marcelo D2; dia
29, “Ainda tenho um sonho ou dois – a História dos Pop Dell’Arte”, de Nuno
Duarte, e “Domesticada”, de Rodrigo Areias e Paulo Furtado.

Dentro da mesma temática, e na habitual
parceria com a APORFEST, logo no dia de abertura do Festival MED decorre a
conferência “Festivais de Cinema e Festivais de Música – Uma simbiose?”.

Também o Teatro ganhará este ano um
destaque no Festival MED. A organização decidiu apostar nesta manifestação
artística, numa parceria com o experiente Teatro Análise da Casa da Cultura de
Loulé que irá apresentar, no Palco Bica, uma teatralização de alguns poemas da
obra “Os Contos do Gin Tonic” de Mário Henrique Leiria. À semelhança da obra deste autor, os atores do T.A.L. irão levar ao
palco uma boa dose de humor negro, muita irreverência e sarcasmo naquela que
será uma estreia nesta fusão artística dos quatro cantos do mundo que é o
Festival MED.

pub

 

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste