Conceição Cabrita: Câmara vila-realense reduz despesa em 5 milhões

Conceição Cabrita, naquilo que será uma
resposta indireta às recentes críticas da CDU e do PS, a propósito do relatório
da IGF – Inspeção Geral de Finanças sobre o endividamento da Câmara Municipal
de Vila Real de Santo António e as alegadas irregularidades e incumprimentos
tornados públicos refere, em nota de imprensa, que a edilidade a que preside,
reduziu, entretanto, a sua despesa em cerca de cinco milhões de euros.

 Esta
redução agora conseguida é elucidativa – diz Conceição Cabrita – de que, ao contrário
do que diz a oposição, “os resultados positivos da aplicação do Programa de
Equilíbrio Orçamental”, têm sido utilizados na recuperação das contas municipais”.

Recorrendo aos números a presidente da edilidade concretiza:

“Entre os anos de 2017 e 2018, conseguimos diminuir o fornecimento de bens
e serviços em um milhão de euros e reduzimos em dois milhões de euros as transferências
e subsídios correntes. Em sentido inverso, aumentámos o nosso património em
meio milhão de euros”.

Pela primeira vez, em vários anos – diz o
comunicado – o município de VRSA deixou de acumular dívida, tendo algumas das
principais mudanças incidido na redução do fornecimento de bens e serviços, na
reorganização da estrutura camarária e na racionalização de gastos com pessoal.

“Estes são apenas os primeiros números que comprovam que o caminho de rigor
orçamental deste executivo está a dar resultados e consolida uma nova forma de
governação onde tem sido necessário saber dizer não ou encontrar novas soluções
para renegociar a dívida contraída e herdada” – sublinha Conceição Cabrita, ao
mesmo tempo que lembra, também, a efetiva redução dos custos e perdas
financeiras alcançados em 2018 e a resolução de certos processos que estavam em
tribunal, que permitiram poupar milhares de euros.

“Tudo isto só tem sido possível, graças a uma gestão muito mais criteriosa no
que concerne aos apoios sociais e às coletividades, bem como através de uma
profunda revisão da política de eventos” – conclui.

Mas neste “arrumar da casa”, Conceição Cabrita põe também em evidência o
modo como o seu executivo tem vindo a consolidar as fontes de receita, “garantindo
que os impostos municipais são efetivamente pagos por quem ocupa ou beneficia
do espaço público”.

Apesar da muita especulação – e aqui a presidente da edilidade aponta o
dedo aos “ataques” da oposição, “estamos a conseguir equilibrar as nossas
contas, sem deixarmos de cumprir com as nossas obrigações em áreas tão
sensíveis, como a educação ou os apoios sociais.


pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste