Conceição Cabrita: Interrupção da assembleia “foi um ato antidemocrático”

Conceição Cabrita, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António

A vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita (PSD), considerou que a forma como os intervenientes no protesto contra a introdução de parquímetros interromperam a sessão da assembleia municipal, esta quinta-feira à noite, foi “um ato de falta de democracia”.

“Estamos num país democrático e as pessoas podem expressar-se. Mas hoje [quinta-feira] não quiseram ouvir as explicações. Isto é um ato de falta de democracia”, considerou a autarca, em declarações ao Jornal do Algarve.

Conceição Cabrita referiu ainda que “as pessoas estão mal informadas” em ralação aos detalhes da introdução de estacionamento pago, porque “não quiseram procurar a informação correta”, e considerou “indecente” que os partidos da oposição “estejam a instrumentalizar as pessoas”.

Refira-se que o acordo entre a autarquia e a empresa que vai explorar os parquímetros foi alterado e terá que voltar a ser aprovado em sessão de Câmara. No acordo inicial estava estipulado que o estacionamento para, até, três viaturas de cada residente na zona paga fosse efetuado na área periférica desta zona. Porém, depois das negociações, a autarquia conseguiu alterar esta situação e uma das viaturas isentas, por cada residente, poderá estacionar gratuitamente em qualquer local da zona paga.

“O regulamento do estacionamento ainda terá que ir a sessão de Câmara, porque houve um reajustamento. Agora, das três isenções, os munícipes têm direito a estacionar uma das viaturas em qualquer local da zona paga. Porém, os partidos da oposição estão a dar uma informação errada às pessoas”, explicou a vice-presidente da autarquia.

Em relação à queixas gerais sobre a introdução de parqueamento pago, Conceição Cabrita recordou que se trata de uma medida que “está a ser implementada em todos os municípios” que “irá permitir a rotatividade do estacionamento” e que a medida “acabará por beneficiar os residentes”.

- Publicidade -

“Se há executivo que tem apoiado os munícipes em tudo é este. Desde trabalho até alimentação, passando pela saúde e por outros apoios sociais. A introdução de estacionamento pago é uma forma de poder continuar a faze-lo”, esclareceu a autarca.

Refira-se que a empresa a quem foi concedida a concessão da zona de parquímetros terá que pagar 400 mil euros à autarquia, no início, assim como uma renda mensal nunca inferior a 15 mil euros.

Oposição votou contra o pagamento

A sessão da Assembleia Municipal nem sequer começou, devido aos protestos
A sessão da Assembleia Municipal nem sequer começou, devido aos protestos

A introdução de estacionamento pago já tinha sido aprovada em sessão de Câmara e de Assembleia Municipal, apenas com os votos a favor da maioria PSD. Ontem, a questão nem sequer fazia parte da ordem de trabalhos da Assembleia Municipal, mas a população aproveitou a reunião daquele órgão para se manifestar.

Também ontem à noite, e em declarações ao Jornal do Algarve, o vereador José Cruz (CDU), mostrou-se de acordo com o facto de a sessão ter sido adiada para que se possa “encontrar um local com condições”.

E foi perentório em relação à questão dos parquímetros: “Sempre disse que isto iria provocar confusão, porque houve poucos esclarecimentos. A área de parquímetros é enorme e Vila Real de Santo António não tem problemas de trânsito para uma área tão grande de estacionamento pago”.

Por seu turno, Ricardo Cipriano (PS), membro socialista da Assembleia Municipal, recordou que Vila Real de Santo António “passa a ser o concelho do Algarve com mais lugares de estacionamento por habitante”.

“O PS defendeu sempre a construção de um silo de estacionamento. Ainda estamos a tempo de mudar, desde que exista vontade política para o fazer”, referiu, recordando que os socialistas chegaram a propor na assembleia de freguesia a realização de uma consulta pública sobre a introdução de estacionamento pago, mas a proposta foi rejeitada pela maioria PSD.

José Dourado (Bloco de Esquerda), também membro da Assembleia Municipal, considerou que “é compreensível que as pessoas se manifestem”.

“Já temos as taxas máximas por causa do PAEL e agora vem mais este pagamento”, lamentou o deputado municipal do Bloco, sublinhando que o seu partido “é contra a privatização de qualquer serviço público e, também, da via pública”.

Comerciantes temem fuga de clientes

O protesto contra a intridução de parquímetros juntou cerca de duas centenas de pessoas
O protesto contra a intridução de parquímetros juntou cerca de duas centenas de pessoas

Por seu turno, os comerciantes temem a fuga de clientes devido ao facto de estes terem que começar a pagar estacionamento.

“Antes, as pessoas estacionavam, passeavam sem se preocupar, almoçavam, faziam compras… Agora, com o pagamento, não sei como vai ser. Certamente já não estarão tanto tempo”, lamentava uma comerciante durante os protestos. “O comércio do centro da cidade vai morrer, como aconteceu noutras cidades algarvias”, gritava um comerciante.

“Fomos apanhados de surpresa. Pensávamos que seriam menos ruas com estacionamento pago”, revelou Joaquim Guedes, da ACRAL e da recém-criada Associação de Empresários do Concelho de Vila Real de Santo António, em declarações ao Jornal do Algarve.

Mas este comerciante e dirigente associativo recordou que sempre houve alguma divisão de opiniões entre os comerciantes: “Há algum tempo, foi apresentada uma proposta para que os comerciantes pagassem o estacionamento aos clientes, se estes fizessem um determinado gasto em compras. Uns aceitaram outros não.”

Uma representação dos comerciantes está neste momento reunida com o executivo municipal. O encontro começou esta manhã e ainda decorria à hora que estávamos a concluir esta notícia.

Domingos Viegas

.

.

.

.

- Publicidade-spot_img

Deixe um comentário

- Publicidade-spot_imgspot_img

+ Populares

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -santos-populares-portimao

Leia Também

9 COMENTÁRIOS

  1. Não concordo vila real de santo António não tem população com situações financeiras que aguentem 60 cts à hora e o turismo; vejam os espanhóis: o que deu com a portagem o pagamento não é bem interpretado não façam esse PECADO FATAL cobrem- se de outro lado….porque a algum lado esse dinheiro terá que entrar concerteza …..mas n comparem vila real de santo António com tarifas cobraveis às de monte gordo ,são mundos muito diferentes
    Parem para pensar primeiro

  2. Pq que a Camara Municipal não aranja um parque de estacionamento gratis apesar de existir dois paqures que sao pagos façam como em Faro existem parquimetros , mas tbm um largo que se chama Largo de São Francisco que é de graça

  3. Não percebo os protestos de pessoas que sao a favor do ”atual projeto europeu” Tudo se paga, Tudo se vende, Tudo se controla! Bem vindos á Alemanha!

  4. Falta de democracia? Ou falta de seriedade?
    Recentemente a Câmara enviou para casa dos residentes uma revista na qual g(b)abava-se que estava a efectuar um grande investimento no saneamento e na distribuição da água no Concelho.
    Porque é que em vez de tal revista não enviou para os munícipes uma revista a explicar (impingir) o estacionamento pago??
    Se uma grande parte da população já se manifestou contra o pagamento abusivo instalado pela Câmara, e outra parte da população está contra, onde é que está a antidemocracia, na Câmara ou nos municipes??

  5. Como se pode apontar como antidemocrática a acção cívica de 5ª feira na Assembleia municipal de acordo com o Município?

    Como é que se interrompe algo que nem começou? E lições de democracia não aceito de ninguém. O que a população quis foi saber do seu futuro como residentes e escusaram-se a dar. Em resumo, só o que queremos é saber a posição oficial sobre o parqueamento em Vila Real e isso ainda não foi dado e estamos e continuamos à espera, pois cada um dava a sua opinião e a maioria nem sequer foi consentânea com a questão em causa. Cada um nem sabia bem o que dizer. Já para não falar que em off -line nem de acordo estavam com a posição “oficial” contradizendo-se a cada minuto que passava, sobretudo fora da Assembleia que não quis enfrentar os vila realenses.

  6. Conceição
    Podias ter evitado estas frases, a maioria das pessoas que estavam lá naquele momento
    em democracia não têm nada a aprender contigo.
    Repara que já querias dar por consumado o ato de democraticamente nos impor o estacionamento pago, assim como fizeste com o IMI em que casas de gente trabalhadora pagam como capitalistas cerca de 5 vezes o que pagavam. porta-te bem e faz com que anulem este saque de dinheiro ao nosso conselho,

  7. Admirados!?
    Esta escória, ou uma grande maioria que pertence hoje ao PSD que “gere” o nosso bonito concelho, defendeu quase uma vida outros ideais políticos. Que esperam de pessoas como “Cabritas” “Romãos” “Cigarrinhos” e por aí fora (só a SGU esta cheia deles, mas ok, é a SGU se não houvesse m**** era de estranhar), eles estão para os tachos e só para os tachos.
    Como é que esta escória ganha eleições? Prometem aos que menos têm aquilo que nunca tiveram, fazem campanhas em véspera de eleições nas discotecas (e constipados, ou então estiveram a fazer bolos às 3 da manhã, não encontro outra explicação para os ver sujos na zona nasal e sempre com o pingo no nariz), fazem campanha à boca das urnas, facultam panfletos a pessoas que não sabem ler nem escrever onde a cruz já esta colocada e claro, o autocarro para que se possam deslocar para copiar o que lá está no panfleto.

    Parquímetros, a sério que isto avança!? Podem ter a certeza que eu, tornar-me-ei vândalo e hei-de partir todos os parquímetros que encontrar, farei questões de fundar ou pertencer a um grupo organizado que o faça.
    Isto é uma cidade que vive do turismo; no Inverno vamos sobrevivendo com os feriados espanhóis e nos fim de semana, que traz algum movimento à nossa querida terra, fora isso…será mais uma conta da água, será mais uma despesa de 20.. 30€, coisa pouca para quem tem tacho, quem não tem…dê aos pedais.
    E no verão??? Ora quem não quer pagar vai estacionar nas zonas onde não se paga, e quem vive perto destas zonas estaciona onde!?

    Organizam uma assembleia Municipal num espaço reduzido (tipo…centro cultural? Ou aquilo já é das duas múmias que roubaram a ideia do presépio ao outro senhor que não sei o nome?) e ainda vêm falar de democracia, de certo que esta escória sabe o que significa democracia!?
    A nossa terra esta podre e cheira mal, não é dos habitantes…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

Tamanho da Fonte
Contraste