ALGARVE

Concurso da nova ponte da Praia de Faro tem finalmente vencedor

A adjudicação das obras de construção da nova ponte da Praia de Faro deverá ocorrer já na próxima semana, disse ao JA uma fonte ligada ao processo, ressalvando que poderá haver um pequeno atraso, mas a obra será seguramente adjudicada até ao final de agosto.

João Prudêncio

A vencedora do concurso para a nova ponte da Praia de Faro, que contou com quatro propostas candidatas, foi uma empresa espanhola e o resultado foi contestado por outros concorrentes, pelo que se verificou um “pequeno atraso” no anúncio e concretização da adjudicação, adiantou ao JA fonte ligada ao concurso.

Compete à comissão liquidatária da Sociedade Polis Litoral Ria Formosa a deliberação final sobre o vencedor, após a fase de análise das reclamações, mas a obra estará integralmente a cargo da Câmara de Faro, à qual compete o financiamento de 70% do capital de 4,4 milhões de investimento. Os restantes 30% são por conta da Sociedade Polis, segundo disse ao JA fonte municipal.

A obra, que deverá começar ainda este ano, tem um prazo de execução de 540 dias (18 meses) e, por óbvios motivos operacionais – para que não seja cortada a ligação durante a fase de obra – deverá ter lugar antes da demolição da ponte antiga. A nova estrutura será praticamente colada, no terreno, à velha ponte.

A falta de propostas nos três concursos anteriores – em novembro de 2017, dezembro de 2018 e setembro de 2020 -, levou a autarquia de Faro a aumentar o valor base do quarto concurso, de forma a que o preço da intervenção estivesse “mais adequado à realidade do mercado atual”. Passou para quase 5 milhões de euros, mas todas as propostas ficaram abaixo desse valor, entre os 4.376.000 euros e os 4.848.000 euros

O desenho da nova ponte resulta de um concurso de ideias efetuado há sete anos e contempla um tabuleiro com dois corredores para travessia de peões, um corredor reversível para trânsito automóvel, pedonal e, ao lado, uma outra via ciclável e pedonal. Esta última pode ser aberta à circulação automóvel em caso de necessidade e ser utilizada por bicicletas e automóveis, transformando o tabuleiro da ponte numa “estrada” de duas vias automóveis, disse ao JA a mesma fonte, sublinhando que a gestão operacional da infraestrutura será feita pelo município.

Concorreram a esta quarta tentativa de encontrar candidatos três empresas portuguesas e uma espanhola, todas com experiência na área, mas a empresa vencedora tem grande implantação em Portugal e mão-de-obra nacional, segundo adiantou a mesma fonte ao JA.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste