COVID-19 ECONOMIA

Corredores aéreos: Marcelo declara que exclusão causa “uma sensação de injustiça”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reagiu esta quinta-feira à noite à decisão do Governo britânico de voltar a excluir Portugal continental do chamado corredor aéreo declarando que causa “uma sensação de injustiça”.

Em resposta a questões dos jornalistas, no final da inauguração da nova sede da empresa Auchan Retail Portugal, em Paço de Arcos, no concelho de Oeiras, o chefe de Estado apontou o Algarve, em particular, como sendo “injustamente punido por esta decisão”.

“Mas temos de continuar, olhar em frente. O que é preciso nestas situações críticas – e eu vou ter reuniões esta semana com a hotelaria – é resiliência, resistência”, acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Governo britânico decidiu hoje retirar Portugal da lista de países considerados seguros no atual contexto de pandemia de covid-19, com exceção das regiões autónomas da Madeira e Açores, e a partir de sábado voltará a obrigar a uma quarentena de duas semanas quem regresse do território continental português.

Portugal tinha sido incluído na lista dos países do chamado corredor aéreo britânico há três semanas.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: