ALGARVE

Corte da ligação ao Algarve durou pouco mais de 1 hora

O troço hoje bloqueado por agricultores na autoestrada espanhola A49, que liga as regiões da Andaluzia e do Algarve, começou a ser reaberto ao trânsito às 12:00, cerca de uma hora e quinze minutos após o corte.

O protesto começou no sentido Espanha – Portugal, entre as duas saídas da autoestrada para Ayamonte, mas alastrou-se depois ao sentido inverso, apanhando de surpresa os automobilistas que seguiam de Portugal para Espanha.

Carlos Costa, um dos automobilistas que não conseguiram escapar ao protesto e que ficaram imobilizados na autoestrada, disse à Lusa que “não sabia de nada”, reconhecendo que, apesar do transtorno, “pelo menos” ainda lhe “deram alguma fruta”.

O condutor referia-se às caixas de framboesas e morangos que os agricultores distribuíram pelos automobilistas nos dois sentidos, embora os mais afetados tenham sido os que tentavam entre em Portugal provenientes de Espanha.

No sentido contrário, pouco depois do bloqueio na autoestrada, a polícia espanhola começou a desviar o trânsito por uma via paralela à A49, que atravessa o polígono industrial de Ayamonte e que permitia aceder à autoestrada já depois da zona do protesto.

O bloqueio começou cerca das 10:45 (hora de Lisboa) e os agricultores começaram a desmobilizar aproximadamente às 12:00, momento as partir do qual o trânsito começou a fluir, conforme constatou a Lusa no local.

Dezenas de veículos, na sua maiorias tratores, e mais de uma centena de pessoas cortaram hoje um troço da autoestrada, perto da cidade fronteiriça de Ayamonte, durante um protesto de agricultores espanhóis contra os preços baixos pagos ao produtor.

Os veículos bloquearam inicialmente a via no sentido Espanha – Portugal, contudo, pouco depois, alguns dos manifestantes que seguiam a pé atrás da caravana saltaram o separador central da via e bloquearam o trânsito também no sentido Portugal – Espanha, antes da saída 131 da A49 para Ayamonte Este.

Os manifestantes reivindicam a melhoria dos preços pagos aos produtores agrícolas, que atualmente não permitem cobrir custos de produção, disse à Lusa o secretário-geral da União de Pequenos Agricultores de Huelva (UPA-Huelva), Manolo Piedra.

O protesto dos agricultores e criadores de gado da província espanhola está inserido nas “manifestações a nível nacional” que têm vindo a realizar-se na última semana em várias cidades espanholas, mas o foco estará centrado nos “problemas mais específicos que a província de Huelva tem relativamente a outras províncias”, acrescentou.

A cidade de Ayamonte, na província espanhola de Huelva, região da Andaluzia, é a última antes da Ponte Internacional do Guadiana, que liga a região autónoma da Andaluzia ao distrito de Faro.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: