Joao Leal
OPINIÃO

Crónica de Faro: A dois anos do Centenário

OPINIÃO | JOÃO LEAL

Assinala-se amanhã, 8 de Janeiro, o 98º aniversário da fundação da prestigiada Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Faro (Cruz Lusa), que tantos e tão destacados e solidários serviços, na concretização do lema «Vida por Vida», tem prestado à Cidade, ao Algarve e ao País.


Trata-se de uma efeméride de alto significado para todos nós, farenses, os que são aqui nascidos ou os que aqui residem, com um passado esmaltado de dignos feitos e o empenhamento generoso e dedicado de sucessivas gerações às quais prestamos o justo tributo de nossa merecida homenagem. Quantos se encontram ligados à «Cruz Lusa», desde o Comando aos Bombeiros Voluntários às dedicadas Direcções, hoje presidida pelo autarca Steven Piedade, que com empenho, querer e amor, têm servido esta Corporação, quase centenária, expressamos o apreço e admiração que lhes são devidos.


Recordamos o que foi o arranque, a construção do ainda hoje quartel – sede que tem, não obstante todas as nunca concretizadas promessas de novas dependências, subsistido ao longo destes prestantes prestes a serem atingidos cem anos. Desses tempos de 1923 e antes nos vem a grandeza exemplar de homens como os Comandantes José Nunes da Cruz e Eng. Ataíde Ferreira, depois prosseguida por outros nomes, entre os quais nos recordamos de: Herculano da Silveira Herdade, Valdemar Carlos da Silva, Dr. José Cabeçadas, Jorge Paes Lobo, Armando Romão, Aníbal, Richard, até ao actual, Sérgio Brito, uma pleiade de cidadãos exemplares e de testemunhos de um voluntariado solidário.


Nesta data do 98º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Faro, para além dos parabéns, o nosso ensejo – ideia, várias vezes expresso, de que se avance para a necessária, urgente e imprescindível construção do Quartel-Sede.

João Leal

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste