OPINIÃO

Crónica de Faro: “Anais do Município de Faro” (VOL. XLII)

OPINIÃO | JOÃO lEAL

Pela vez primeira sob a direcção dessa destacada figura da vida portuguesa, que é o professor Doutor Guilherme de Oliveira Martins (motivador da «Carta de Faro 2015» – Património Cultural/Conselho da Europa) foi apresentado o 42.º volume dos «Anais do Município de Faro, essa verdadeira e autêntica «Faro Monumentea Historiae».

Decorreu o acto, com a merecida pompa e circunstância no Salão Nobre da Câmara Municipal, constituindo uma pedagógica sessão e mais um tijolo na pretendida escalada para a escolha da cidade sulina para, em 2027, ser «Capital Europeia da Cultura». Foi em 1969 que teve a sua publicação inicial esta obra, que dignifica Faro e o Algarve. Surgiu por iniciativa e empenho desse insigne e saudoso farense que foi o professor Pinheiro e Rosa, tendo-lhes sucedido com grande dedicação e empenho, dois «farenses nascidos no concelho de Loulé», o Dr. Libertário dos Santos Viegas, presente no acto e o professor Doutor Joaquim Romero de Magalhães.

Uma palavra é devida ao empenho, meticulosidade e mérito da Dra. Elsa Vaz, técnica superior da Divisão Cultural do Município, pelo seu acrescido labor nas últimas edições dos «Anais». Coube à Dra. Sandra Ribeiro (Directora da Biblioteca Municipal António Ramos Rosa a inteligente condução da sessão. Ao professor Doutor João Guerreiro (ex-Reitor da Universidade do Algarve) foi confiada a apresentação desta obra, que além da análise dos vários trabalhos, alguns dos quais dedicados a seu lembrado pai, essa insigne figura de algarvio que foi o orofessor Doutor Manuel Gomes Guerreiro, fundador da nossa Universidade e que apontou a necessidade de uma revista focada para os grandes problemas regionais.

O professor Doutor Guilherme de Oliveira Martins , nas suas judiciosas palavras, apontou «Faro, Granada , Valência e La Valetta, como cidades referências do património cultural» e recordou com especial destaque as saudosas figuras do Dr. Joaquim Magalhães («esse multiplicador cultural», segundo a escritora Lídia Jorge) e de seu filho, Joaquim Antero Romero de Magalhães». «Anais do Município de Faro» uma referência da maior importância e da mais assinalada valia para Faro e o Algarve.

João Leal

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: