CRÓNICA DE FARO: Homenagem a “quatro pilares” do farense

joão leal

joão leal

Fundando a 1 de abril de 1910, o Sporting Clube Farense (SCF), um dos históricos do futebol algarvio, assinalou, com pompa, significado e circunstância, o 109.º aniversário desta prestigiante efeméride, com destaque para o jantar de gala realizado no Colégio do Alto e durante o qual foram homenageadas quatro relevantes figuras do seu rico currículo. Presidido pelo Dr. Rogério Bacalhau Coelho, responsável pelo município da capital sulina (“um clube cada vez maior e melhor”), que estava ladeado pelo deputado Cristóvão Norte (presidente da Assembleia Geral) e João Rodrigues (presidente do clube aniversariante) esta foi uma inolvidável jornada de grande fervor clubístico e de encontro de gratidão intergeracional. Presentes todo o mundo local do futebol, entre os quais antigos técnicos e jogadores, como Paco Fortes, que se deslocou expressamente de Barcelona; Manuel Cajuda, Fanã, Pedro Benje, Sério, Pitico e tantos outros, a par do atual treinador Álvaro Magalhães e de todo o plantel.
Com efeito quis a direcção do mais representativo clube de Faro prestar a sua merecida e mais que justa homenagem, àqueles que constituem, quanto a nós e a muitos milhares de outros cidadãos, “pilares relevantes do Farense”, merecendo o nosso preito de sincero apreço por aquilo que de alto apreço prestaram ao clube, ao concelho e à região.
Foram eles: José Gomes Santos (Cabo Santos), o valoroso guardião, hoje com noventa e muitos anos, que em 1942 assumiu a defesa das redes do SCF, único clube que representou, para o servir durante 15 anos na II e III Divisões Nacionais; Aníbal de Sousa Guerreiro (Nibinha), “um notável da história clubista), que foi dirigente ao longo de 22 anos e que foi “o grande responsável pela subida à I Divisão”; o capitão Carlos Sério (o jogador com mais presença, envergando a camisola do Farense, na Divisão maior, com 127 jogos disputados e que veio, da CUH do Barreiro, para estar em Faro durante 2 anos e se encontra há mais de cinquenta e o “ícone” Fernando Barata, representado pela filha D. Monique Barata Barreto, “o presidente que revolucionou o clube na década de oitenta”.
Duas presenças, para além das demais, que constituem referência histórica – o ex-secretário António Gomes Afonso, com 91 anos de idade, cuja intervenção constituiu uma notável página do “Grande Clube que nos honra a todos e todos honramos” e de José Rafael (Zé das Quotas), ambos a recuperarem das intervenções cirúrgicas.
Uma celebração assinalada e apontada ao futuro como expressou o atual responsável pela agremiação, Dr. João Rodrigues – “O SCF tem que ser um dos grandes do Sul de Portugal”.

João Leal

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste