CRÓNICA DE FARO: Vou continuar a ajudar as crianças

João Leal

A frase, verdadeiro compromisso – reafirmação que desde sempre soubemos ser seu indefetível propósito, foi proferido no significativo e assinalado dia em que o Rotary Clube de Faro (RCF), no âmbito do mês mundialmente dedicado ao profissionalismo, elegeu o Coronel de Cavalaria Dr. Luís Gonzaga Villas Boas Rebelo Marques, como “Profissional do Ano 2018”. Trata-se de uma justíssima consagração, numa das três datas mais importantes do calendário anual rotário (Profissional do Ano Aniversário da Entrega da Carta Constituitiva e Visita do Governador), a quem provocou uma verdadeira revolução, a nível mundial, no acolhimento à criança em situação difícil. É que, após ter sido um dos factores da verdadeira “Revolução de Abril”, quando era Capitão e se encontrava em missão em Angola, de onde posteriormente foi evacuado, o fundador da “Emergência Infantil”, Coronel Eng. Manuel Aboim Ascenção Lemos, os destinos estão travessos, dramáticos e complexos do Refúgio Aboim Ascenção, a “Casa Cor de Rosa do Amor à Criança, do futuro e da esperança” para durante 35 anos de árdua labuta vivida, instante a instante, a tornar uma referência e modelo em todo o Mundo.
A aclamação do “Profissional do Ano do RCF”, prosseguindo uma lista de verdadeiros cidadãos com incontornáveis serviços prestados à Comunidade, aconteceu em plena “Vila-a-Dentro” e teve verdadeira e merecida consagração regional com a presença de entidades oficiais, rotários e admiradores de várias procedências (Almancil, Lagoa, Olhão, Loulé, Albufeira…) que consignaram o orgulho, honra e admiração que se dedica a este “algarvio nascido em Viana do Castelo”. Com efeito o homenageado nasceu, em 1943, na formosa capital do Alto Minho, mas menino e moço, veio para Faro, onde seu lembrado pai, oficial do exército, comandou a PSP no Algarve. Quem esquece o moço Luís, guitarrista e um dos seus irmãos, nas versões de música “prá frentex”! Cumprido o 3º ciclo no Liceu João de Deus seguiu para a Academia Militar, em 1962, onde se formou em ciências Militares, seguindo a carreira castrense e mais tarde, licenciou-se em Psicologia Clínica pela Universidade de Lisboa.
Registamos a referência que lhe foi dirigida pela Arq. Teresa Vieira, presidente do RCF: “O homem que é o exemplo que nos transmite, pois um país que não cuida das suas crianças é um país sem futuro”. Como recordamos o que foi esse “Fórum Mundial da Criança”, acontecido em Faro (1998), que então foi na verdade a “Capital Mundial da Infância”, com a presença de mil participantes vindos de 58 países, com a mão do excelente organizador que é o Comendador Dr. Luís Villas Boas.
“Sentir-se algarvio, é fazer, todos os dias, alguma coisa por esta terra”, afirmou o diretor do Refúgio Aboim Ascenção, numa frase que é um convite ao pensar. Parabéns Dr. Luís!

João Leal

Advertisements
Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste