Direção-Geral quer saber tudo o que corre mal na saúde

.

A Direção-Geral da Saúde aposta uma ferramenta informática para receber informação de doentes e profissionais sobre incidentes registados durante a prestação de cuidados.

Cair da cama enquanto se está hospitalizado, ficar com o braço inchado após uma recolha de sangue ou contrair uma infeção na sequência de uma cirurgia são situações que acontecem e que, a partir de amanhã, podem ser comunicadas às autoridades de Saúde.

A notificação é prestada sob anonimato e está ao alcance de qualquer cidadão ou profissional de saúde, através de uma ferramenta informática disponível na página da Direção-Geral da Saúde (DGS) na Internet.

A medida faz parte do Sistema Nacional de Notificação de Incidentes Adversos (SNNIEA), recomendado pela Organização Mundial de Saúde e pelo Conselho da União Europeia, e tem como objetivo gerir, analisar as causas, corrigir e prevenir tudo o que corre mal nas unidades de saúde.

“É um sistema semelhante ao utilizado na aviação: completamente anónimo e unicamente pedagógico, assente no paradigma como? e Porquê?, em vez do ultrapassado Onde? E com quem?”, explicou ao Expresso o diretor-geral da Saúde, Francisco George.

Na prática, nenhum dos intervenientes sofrerá represálias pelo sucedido. O profissional de saúde que teve responsabilidade no incidente (sem dano para o doente) ou no evento adverso (com dano) não será penalizado e o autor do relatório, o próprio doente ou um familiar, por exemplo; também não verá ser-lhe recusado qualquer tratamento.

O único objetivo é conhecer o caso, para que seja corrigido e evitado no futuro. As situações comunicadas – “todas as que resultaram, ou poderiam ter resultado, em danos para o doente” – vão permitir à DGS atuar em dois níveis: localmente, nas unidades visadas, e a nível nacional, com a identificação de áreas de intervenção prioritárias.

Em cada instituição de Saúde, haverá um gestor do sistema, a quem caberá a tarefa de validar os episódios relatados. Isto é, confirmar a veracidade do sucedido.

Vera Lúcia Arreigoso (Rede Expresso)
Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste