Dois faróis algarvios no top-10 dos mais visitados do país

D

Farol de Santa Maria (Ilha da Culatra)

Santa Maria e Cabo de S. Vicente foram os mais visitados na região em 2018, ocupando a sétima e a oitava posições, respetivamente, entre os 28 que estão abertos a visitas em todo o território nacional. Alfanzina (Lagoa) e Vila Real de Santo António ficaram nos 14.º e 17.º lugares, respetivamente

DOMINGOS VIEGAS

O
Farol de Santa Maria, localizado num dos extremos da ilha da Culatra,
foi o mais visitado em 2018, entre os quatro da região que estão
abertos a visitas.

Este
farol recebeu, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional, a que
o Jornal do Algarve teve acesso, 7.412 visitantes ao longo do último
ano, o que o coloca como o sétimo mais visitado do país (o quarto
no continente, ou seja, sem contar com os dos Açores e Madeira).

Na
segunda posição em termos de visitas, na região (oitavo lugar a
nível nacional), surge o Farol do Cabo de S. Vicente (em Sagres,
concelho de Vila do Bispo), com 3.433 visitantes contabilizados em
2018. O terceiro mais visitado do Algarve (14.º a nível nacional)
foi o de Alfanzina (concelho de Lagoa), com 1.797 visitas, seguido do
Farol de Vila Real de Santo António, com 1.496 visitas, que ocupa o
17.º lugar entre os 28 que estão abertos ao público em todo o
território nacional.

Na última semana, a AMN já tinha revelado que, no último ano, aqueles 28 faróis, distribuídos por todo o país, receberam um total 101.613 visitantes em 2018, registando assim um novo recorde num só ano. Estes números representam um aumento de 27.721 visitas em relação a 2017, ano em que se registaram 73.892 visitantes.

“O
aumento de visitantes em 2018, em relação ao ano anterior,
constitui também um recorde visto que, desde que os faróis abriram
ao público, em 2011, o aumento médio anual de visitantes era de
7.600″, sublinha a AMN.

O
mais procurado foi o Farol de Aveiro (15.561 visitantes), seguido do
Farol da Ponta do Pargo (na Madeira, com 15.301) e do Farol do Arnel
(nos Açores, com 10.951). No top-10 dos faróis mais visitados estão
ainda Ferraria (Açores, com 8.699), São Jorge (Madeira, com 8.109),
Leça (7.594), os já referidos algarvios de Santa Maria (7.412) e do
Cabo de S. Vicente (3.433), bem como Cabo Espichel (2.865) e Cabo da
Roca (2.653).

No
continente, os 15 faróis abertos ao público registaram 53.580
visitantes. Na Madeira, os dois faróis abertos foram visitados por
23.410 pessoas, enquanto nos Açores os 11 faróis abertos a visitas
totalizaram 24.623 visitantes. “A abertura dos faróis ao público
é uma iniciativa que tem como objetivo a divulgação da história,
património e atividade dos faróis e faroleiros”, explica a AMN.

Os
quatro faróis abertos a visitas, entre os quais os quatro
localizados no Algarve, podem ser visitados às quartas-feiras, sem
necessidade de marcação prévia, das 13h30 às 16h30 (durante o
período da hora legal de inverno) e das 14h00 às 17h00 (durante o
período da hora legal de verão). “Fora deste período, os faróis
podem ser visitados por marcação no caso de grupos organizados, ou
seja, escolas e outras entidades”, frisa a AMN. Neste último caso,
a marcação deve ser efetuada por e-mail (dfarois@amn.pt).

Advertisements

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste