Doze praias algarvias de “alto risco”

Sete anos depois da tragédia na praia Maria Luísa, em Albufeira, que matou cinco elementos de uma família no seu último dia de férias, as multas aplicadas têm sido escassas
Sete anos depois da tragédia na praia Maria Luísa, em Albufeira, que matou cinco elementos de uma família no seu último dia de férias, as multas aplicadas têm sido escassas

Entre Aljezur e Albufeira, existem centenas de praias de areal pequeno e arribas instáveis que ameaçam cair a qualquer momento. Apesar dos repetidos alertas e das placas a sinalizar o risco de derrocada, muitos banhistas teimam em permanecer nas zonas perigosas. Por isso, a associação de defesa do consumidor DECO acaba de classificar 25 praias “de uso limitado” em todo o país. Cerca de metade são no Algarve! Assim, só arrisca quem quer…

Após a tragédia que vitimou cinco pessoas na praia Maria Luísa, em Albufeira, em agosto de 2009, passou a ser obrigatória a sinalização de todas as falésias instáveis e que representam risco para os utentes.

A praia do Camilo (Lagos), onde chegam a estar 300 banhistas amontoados no areal, é uma das referenciadas pela DECO. Mas o JA apanhou dezenas de pessoas debaixo da arriba
A praia do Camilo (Lagos), onde chegam a estar 300 banhistas amontoados no areal, é uma das referenciadas pela DECO. Mas o JA apanhou dezenas de pessoas debaixo da arriba

Porém, muitas pessoas continuam a desafiar o perigo e a ignorar os avisos, colocando-se perto das arribas. E os especialistas notam que onde há arribas, há sempre perigo!

Na maioria das praias do barlavento algarvio, os areais são de pequena dimensão e é notória a instabilidade das arribas, que ameaçam cair a todo o instante. Todos os anos desprendem-se blocos rochosos destas falésias, o que só por si deveria deixar qualquer pessoa preocupada…

(Notícia e lista completa das praias de risco na última edição do JA – dia 14 de julho)

Nuno Couto | Jornal do Algarve

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste