ALGARVE

Empresário de sal artesanal de Tavira defende fiscalização contra imitações

A Flor de Sal está a ganhar cada vez mais adeptos a nível mundial e a ser recomendada como produto de alta qualidade utilizado pelos mais conceituados chefs. As salinas algarvias têm vindo a especializar-se na arte de colher a flor de sal aquilo a que os mais antigos chamavam de “coalho”.
Em Tavira, a empresa de produção de sal artesanal de Rui Simeão tem vindo a ganhar destaque ao arrecadar vários prémios internacionais e a expandir a carteira internacional de clientes. Em 2004, arrecadou o prémio “produto biológico do ano” pelo júri de uma feira em Nuremberga. Este empresário algarvio está esta semana em destaque no Diário de Notícias.
O empresário explica como modernizou e certificou o negócio de família de produção e venda de sal.

Atualmente, as suas salinas produzem entre 60 a 80 toneladas de flor de sal e 800 toneladas de sal tradicional.
Ao DN, Rui Simeão diz que é tempo de começar a olhar para este negócio com outros olhos porque começam a aparecer muitas imitações que denigrem a qualidade do produto original junto dos consumidores.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste