Estradas algarvias mais “sangrentas” este ano

Desde o início deste ano já morreram 30 pessoas em acidentes rodoviários no Algarve, mais cinco que no mesmo período do ano passado e mais dez em relação a 2008. Além disso, 106 pessoas ficaram feridas com gravidade nas estradas da região nos primeiros sete meses do ano. Face ao aumento da sinistralidade, o governo civil apela aos condutores para “darem férias à velocidade” neste verão.

Entre 1 de janeiro e 31 de julho, 30 pessoas morreram em acidentes de viação nas estradas da região, contra as 25 que perderam a vida no mesmo período de 2009 e as 20 que faleceram em 2008.

De acordo com os últimos dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), divulgados na semana passada, o número de vítimas mortais contabilizado pela PSP e GNR no Algarve diz respeito apenas às mortes no local do acidente ou durante o percurso para o hospital.

Desta forma, as pessoas envolvidas em acidentes que morreram nos hospitais nos 30 dias seguintes ainda não foram contabilizados nestas estatísticas da sinistralidade rodoviária.

Segundo a ANSR, o distrito de Faro é o quinto do país onde os acidentes provocaram mais mortos nos primeiros 210 dias deste ano (30), sendo apenas superado por Lisboa (59 mortes), Porto (55), Aveiro (42) e Setúbal (35).

Por sua vez, os feridos graves diminuíram ligeiramente face a igual período do ano passado. Este ano, ficaram gravemente feridas 106 pessoas, enquanto em 2009 os acidentes provocaram 116 feridos graves. No entanto, comparando com os números de 2008, altura em que ficaram feridas com gravidade 95 pessoas, regista-se um aumento (mais 11).

Dar férias à velocidade”

Apesar do aumento do número de vítimas mortais nos primeiros sete meses do ano, os dados da ANSR indicam que a curva da sinistralidade tem vindo a descer acentuadamente, principalmente nos últimos seis anos.

É que, desde 2003 que o Algarve não ultrapassa a fasquia das 100 mortes nas estradas. No ano passado, foi mesmo registado um recorde positivo, com “apenas” 42 pessoas a perderem a vida em acidentes rodoviários na região.

No entanto, este ano os acidentes já provocaram trinta mortos e ainda falta contabilizar as vítimas dos meses de agosto e setembro, que costumam ser os mais mortíferos e perigosos das estradas algarvias.

Este é um período em que os condutores devem reforçar todas as medidas de segurança, respeitando normas e regras do código da estrada, de forma a que, todos em conjunto, consigamos erradicar a sinistralidade e transformar as vias rodoviárias em locais de circulação totalmente seguros”, disse a governadora civil, Isilda Gomes, durante a apresentação da campanha nacional de prevenção rodoviária “Neste Verão, dê férias à velocidade”.

O apelo da governadora civil surge após o Observatório de Segurança do Algarve ter indicado que “as primeiras conclusões apontam o erro humano como a principal causa dos acidentes graves na região”.

De acordo com Isilda Gomes, “a velocidade excessiva para as condições de circulação, as manobras perigosas e o não cumprimento das regras de trânsito” lideram a lista das causas dos acidentes graves registados na região do Algarve.

Nuno Couto/Jornal do Algarve

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste