MUNDO

Expulsões de ciganos são “indignas e infundadas legalmente”, acusam socialistas

Os socialistas franceses criticaram hoje as expulsões “indignas e infudadas legalmente” de ciganos romenos e búlgaros do país, e a política de segurança do Presidente da República, Nicolas Sarkozy.

Reunidos na universidade de verão em La Rochelle, os socialistas franceses consideram que estas expulsões são “indignas”.

“Essas expulsões são indignas” e “infundadas legalmente”, disse a primeira secretária do partido, Martine Aubry, no discurso de encerramento da universidade.

Aubry, que recuperou uma frase lançada há dois dias de que “este verão tem sido o verão da vergonha do país”, junta-se assim às críticas das Nações Unidas e do Vaticano contra a iniciativa francesa de deportar ciganos, especialmente da Roménia e Bulgária.

Para a responsável política, a estratégia de segurança do Presidente francês “agrava os problemas em vez de os solucionar”.

Martine Aubry considera que “o único objetivo” de Sarkozy “é esconder os seus fracassos” em matéria política e social, além de criar o receio de não haver alternativa.

Segundo a dirigente partidária, “não há ideias milagrosas” para estas situações, nem se deve excluir nenhuma possibilidade, prometendo a divulgação de alternativas na próxima quinta-feira, como a criação de policías de proximidade e uma ação contra as armas de fogo.

A socialista considerou ainda uma violação ao princípio da constituicional da igualdade a ideia do atual executivo de retirar a nacionalidade aos franceses naturalizados que pratiquem a poligamia ou que atentem contra a autoridade.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste