PAN
POLÍTICA

Faro: PAN quer apoio veterinário público e campanhas de esterilização

A candidata do PAN à Câmara de Faro defendeu a criação de um serviço de apoio veterinário público no centro de recolha e campanhas de esterilização para as várias colónias da cidade.

À margem de uma ação de campanha, esta tarde, em Faro, Elza Cunha elogiou a criação do Centro de Recolha Oficial (CRO) Animal atualmente em construção na zona do Guelhim, mas defendeu a necessidade de criação de um “centro médico-veterinário municipal de tendência gratuita” para dar resposta às necessidades de tratamento de “todos os animais”.

Segundo o partido Pessoas Animais Natureza (PAN), esta valência serviria quer para os animais “recolhidos da rua” e que estão em famílias de acolhimento ou para associações protetoras de animais que “fazem o papel que competiria à câmara”, mas também à qual poderiam recorrer famílias carenciadas.

“O novo CRO é um espaço suficiente onde teríamos uma zona reservada a consultório, a bloco de cirurgia, como numa clínica veterinária privada e onde haja serviço 24 horas como nos outros serviços médico veterinários”, defendeu.

Este centro implicaria “mais veterinários” municipais ou a colaboração de outros profissionais que se quisessem “voluntariar” para a sua missão de proteção animal, dando “algum tempo” das suas horas de trabalho, mas assegurou pretenderem que seja um “serviço público”.

Outra das pretensões do PAN é que o resgate animal seja incluído no plano de emergência da proteção civil, destacando que atualmente “não estão contemplados”, sendo para isso necessário a existência de “veículos de transporte resgate e ações de sensibilização e formação das autoridades”.

Numa ação que incluiu a visita a um recém-criado centro de acolhimento temporário de gatos como 30 animais para adoção, na zona de Vale Carneiros, Elza Cunha defendeu a necessidade de uma “efetiva campanha” do município de captação, esterilização e devolução ao seu habitat dos animais das várias colónias da cidade.

Questionada para um balanço dos últimos quatro anos, a candidata afirmou que se sentiu o “efeito PAN” criado pela eleição de um deputado municipal em 2017, sendo notória uma “maior abertura” do município para a causa animal.

Como exemplo apontou a colocação de cartazes contra o abandono animal, a disponibilização de bebedouros para os animais junto às explanadas ou mesmo a decisão da construção do CRO.

Elza Cunha destacou ainda o papel do PAN na proposta e criação da comissão de proteção animal e bem-estar animal, que assumiu ter tido a capacidade de informar e alertar as diversas forças políticas para essas causas.

O PAN tem como adversários na corrida à presidência da capital algarvia o repetente Rogério Bacalhau – que se candidata a um terceiro e último mandato -, o antigo vereador socialista João Marques, Catarina Marques (CDU) e Aníbal Coutinho (BE).

Nas eleições de 2017, a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM obteve 43,94% dos votos, alcançando maioria absoluta no executivo, com cinco vereadores. O PS obteve 38,06% dos votos (restantes quatro vereadores) e a CDU, com 7,38%, perdeu o vereador que tinha assegurado em 2013.

As eleições autárquicas realizam-se em 26 de setembro.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste