Férias no Algarve podem sair mais caras do que viajar para as Caraíbas

Fazer férias “cá dentro”, como o Presidente da República pediu, pode ajudar a economia nacional, mas em alguns casos sai mais caro ao bolso dos portugueses.

Uma semana de férias no Algarve, destino nacional de eleição dos portugueses, num hotel de cinco estrelas, custa a um casal mais de 1.500 euros em regime de alojamento e pequeno almoço (APA), mas se optar por uma viagem até às Caraíbas consegue viajar com tudo incluído por 2.000 euros.

Por mais 500 euros, um casal pode viajar até às águas quentes da República Dominicana (Punta Cana), México (Riviera Maya) ou Venezuela (Ilha Margarita) e passar sete noites (nove dias) num hotel de cinco estrelas com todas as despesas de alimentação e de transportes incluídas.

Se se considerar as despesas das refeições de sete dias e a deslocação para as praias do Algarve, será difícil competir com os pacotes de praia e de sol mais distantes.

As ilhas dos Açores e a Madeira constituem a maioria das propostas de turismo interno disponibilizada online pelas agências de viagem para os meses de julho e agosto, sendo que o pacote de sete noites mais económico para cada um dos destinos em hotel de quatro estrelas custa por pessoa 450 e 600 respetivamente, em regime de alojamento e pequeno almoço.

As ilhas portuguesas concorrem com as espanholas e, à data da pesquisa, as principais promoções disponibilizadas para Palma de Maiorca com a viagem e sete noites de alojamento em hotel de quatro estrelas, em regime de meia pensão, custam cerca de 700 euros por pessoa, mais 150 do que os Açores e 100 do que a Madeira, mas já com sete refeições incluídas.

A par com a proximidade, as ilhas do país vizinho têm a vantagem de beneficiar de várias ligações aéreas ‘low-cost’ a partir dos principais aeroportos portugueses, que permitem aos turistas viajar a baixo custo e obter preços bastante competitivos no alojamento, que, de acordo com o Hotel Price Index Hotéis.com, sofreram uma quebra de 23 por cento no quarto trimestre de 2009 face ao ano anterior.

O Presidente da República manifestou-se no passado sábado preocupado com a “grave” situação económica de Portugal, e apelou aos portugueses para que façam férias “cá dentro”, para ajudar a inverter e ultrapassar a difícil situação em que o país se encontra.

“Neste tempo difícil que atravessamos, os portugueses devem fazer turismo no seu próprio país, pois é uma ajuda preciosa para ultrapassar a situação difícil em que o país se encontra”, defendeu então Cavaco Silva.

De acordo com as contas feitas esta semana pelo Jornal de Negócios, os estrangeiros deixam em Portugal 2,5 vezes mais dinheiro do que os portugueses que fazem férias lá fora.

Segundo os dados do Banco de Portugal, em 2009, os turistas estrangeiros gastaram 6.918 milhões de euros com viagens e turismo a Portugal face aos 2.712 milhões de euros gastos o ano passado pelos portugueses em viagens e turismo ao exterior.

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste