Fotos para pensar, rir e chorar no Museu de Portimão

O mundo que temos é revelado aos visitantes da World Press Photo, em Portimão, através de centenas de fotografias que retratam cenas de violência, catástrofes e guerras, mas também imagens espetaculares do desporto e natureza.

Para o júri da World Press Photo Foundation (WPP), a fotografia tirada pelo italiano Pietro Mastrurzo foi a mais apelativa das mais de 100 mil enviadas por 5.847 fotógrafos profissionais de 128 países, tendo sido premiados 62 fotógrafos de 23 nacionalidades, bem como 300 imagens.

“O instante que Pietro Masturzo captou, em junho de 2009, mostra um grupo mulheres a gritar do terraço de um prédio em protesto contra o regime de Teerão, após a polémica re-eleição de Mahmoud Ahmadinejad como presidente do Irão”, explica a organização.

Uma fotografia que, para Ayperi Karabuda Ecer, presidente do júri, “mostra o princípio de algo, o princípio de uma grande história”. “Acrescenta perspetivas à notícia. Toca-nos visualmente e emocionalmente, o meu coração entregou-se imediatamente”, confessa.

O instantâneo vencedor do prémio máximo da WPP faz parte de um conjunto de imagens captadas pelo freelancer italiano que ilustram os dias que se seguiram à afirmação da República Islâmica e que lhe valeram, para além deste, o primeiro prémio para a categoria de ´Pessoas nas Notícias´.

Esta e outras imagens estão expostas, até ao dia 8 de agosto, no Museu de Portimão, podendo ser visitada entre as 18h00 e as 24h00.

Violência, fome, guerra, morte e todo o tipo de desastres naturais que semeiam o caos, mas também imagens espetaculares do mundo do desporto, ciência e natureza.

Estes são os principais ingredientes das fotografias presentes nesta 53ª edição da mais importante exposição mundial de fotojornalismo.

NC/JA

pub

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste