ALGARVE

Gestão do Sapal Castro Marim e Ria Formosa recebe 200 mil euros

Ministro do Ambiente
Ministro do Ambiente

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Pedro Matos Fernandes, presidiu dia 7 de maio à cerimónia de assinatura dos protocolos de colaboração técnica e financeira para a promoção da cogestão da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António e do Parque Natural da Ria Formosa, através dos quais o Fundo Ambiental se obriga a transferir para a AMAL até ao limite de 100 mil euros por cada área protegida.

Os protocolos foram celebrados entre o Fundo Ambiental (Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente e da Transição Energética), a Comunidade Intermunicipal do Algarve – AMAL, e o ICNF, IP – Direção Regional de Conservação da Natureza e Florestas do Algarve.

Através da assinatura destes protocolos pretende-se, durante 3 anos, dotar a comissão de cogestão de apoio técnico e operacional, dedicado e em exclusividade, garantindo a implementação das atividades consideradas prioritárias no âmbito da promoção de ambas as áreas protegidas.

Este protocolo surge na sequência de os municípios de Faro, Loulé, Olhão, Tavira, Castro Marim e Vila Real de Santo António terem solicitado formalmente a adesão ao modelo de cogestão para o Parque Natural da Ria Formosa e para a Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, e delegado essa competência na AMAL.

A entrega formal do pedido ao ICNF, na pessoa do presidente do Conselho Diretivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, Nuno Banza, foi feita pelo presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, que irá presidir à futura comissão de cogestão do Parque Natural da Ria Formosa, e pelo presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Francisco Amaral, que irá presidir à futura comissão de cogestão da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste