ALGARVE ÚLTIMAS

Investigação algarvia quer “despistar” o cancro antes da doença chegar

.
Os resultados desta investigação algarvia podem ajudar a desenvolver terapias que possam, futuramente, baixar o risco de desenvolver a doença

Uma equipa de investigadores da Universidade do Algarve está atualmente a “levantar importantes questões científicas” para identificar as causas e os fatores que originam o cancro. O objetivo é claro: identificar a doença o mais depressa possível para aumentar as probabilidades de tratamento. Caso tenham sucesso, um dia será possível “chegar lá mais cedo que a doença”

“E se pensássemos o cancro como um acidente de viação?”. Este é o ponto de partida da equipa do Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR) da Universidade do Algarve, liderada por Ana Teresa Maia, que trabalha diariamente para compreender, através da biologia computacional, quais as causas do “acidente”, que fatores podem ser influentes e de que modo a sua compreensão pode ajudar a prevenir “acidentes” no futuro. O objetivo é claro: “identificar as mulheres que têm maior propensão a desenvolver cancro da mama e chegar lá mais cedo que a doença”.

Ou seja, adiantam os responsáveis, “se o cancro pudesse ser equiparado, metaforicamente, a um acidente de viação, os investigadores deste laboratório seriam os peritos do acidente”…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 16 DE NOVEMBRO)

Nuno Couto|Jornal do Algarve

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste